Notícias

“Hora de seguir em frente”: Portugal ameniza lockdown da Covid-19

Reuters
Reuters
“Hora de seguir em frente”: Portugal ameniza lockdown da Covid-19
Funcionários limpam cadeiras de restaurantes em Lisboa

5 de abril de 2021 - 09:38 - Atualizado em 5 de abril de 2021 - 09:40

Por Catarina Demony e Miguel Pereira

LISBOA (Reuters) – Os olhos de Pedro Costa brilharam de alegria nesta segunda-feira, quando Portugal entrou na segunda fase de amenização do lockdown da Covid-19, o que lhe permite finalmente voltar a receber clientes fiéis em seu pequeno quiosque de café no centro de Lisboa.

“Este lockdown foi mais sofrido, mas é positivo que estejamos reabrindo”, disse o comerciante de 30 anos. “É o melhor dia: o recomeço. É hora de seguir em frente, e espero que não precisemos dar um passo para trás”.

Portugal impôs um lockdown em janeiro para controlar o que era então a pior disparada da Covid-19 no mundo, mas as regras rígidas foram relaxadas gradualmente a partir de 15 de março, quando cabeleireiros, livrarias e escolas para crianças mais novas reabriram.

Nesta segunda-feira, cafés, restaurantes, museus, mercados e feiras sem alimentos, lojas pequenas, escolas médias e academias de ginástica tiveram permissão para erguer as portas.

Na academia de ginástica Lemonfit, a coordenadora Joana Silva, de 33 anos, ficou encantada de ajudar as pessoas a voltarem à forma depois de mais de dois meses de lockdown.

“O impacto que o coronavírus teve nas academias de ginástica foi devastador”, disse Silva. “Ainda o estamos avaliando, mas sem dúvida foi desastroso, não somente em nível financeiro, mas também físico e psicológico”.

Portugal acumula 823.355 casos e 16.879 mortes por Covid, mas os índices de infecção diminuíram.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH340K7-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.