Notícias

Homem suspeito de gravar vídeos com menor é preso em Colombo

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

9 de fevereiro de 2017 - 00:00 - Atualizado em 9 de fevereiro de 2017 - 00:00

Foto: Pixabay

Em um cartão de memória do suspeito também foram encontradas crianças seminuas e em poses sensuais

Um homem de 53 anos foi preso por investigadores do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria) na manhã desta quarta-feira (8), suspeito de produzir e armazenar imagens pornográficas com menores de idade. Ele foi preso na casa de sua filha no município de Colombo, Região Metropolitana de Curitiba.

Em dezembro, um office boy localizou, na empresa em que presta serviços, um cartão de memória contendo várias imagens de crianças seminuas ou em poses sensuais, além de um vídeo de um de seus colegas de trabalho fazendo sexo com um adolescente de 15 anos.

Diante da grave denúncia, policiais civis iniciaram as investigações para verificar as informações, bem como autuar o homem responsável pelo cartão de memória. Após dois meses de investigações, foi pedido um mandado de prisão preventiva contra o suspeito de 53 anos ao Judiciário.

Ele foi encaminhado para o Nucria, onde confessou que tem interesse por homens e principalmente pelo adolescente que aparece no vídeo que estava no cartão de memória com ele.

Leia mais
Homem é preso em flagrante com pornografia infantil no Boqueirão
Em carta a bispos, Papa pede ‘tolerância zero’ com pedofilia

A delegada responsável pelo caso, Patrícia Nobre, conta que foi constatado que as imagens foram divulgadas em um grupo de mensagens instantâneas, dificultando o trabalho da Polícia. “Essas imagens foram divulgados com a intenção de zombar do suspeito, mas isso fez com que ele quase fugisse para o Estado de Santa Catarina, colocado todo o nosso trabalho em risco”, explica Patrícia.

O suspeito está recluso no Centro de Triagem, onde permanece à disposição do Poder Judiciário. Ele responderá pelos crimes de produção e armazenamento de imagens, previstos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A Polícia Civil continua investigando a divulgação das imagens para identificar outros suspeitos, pois transmissão de fotos de menores em redes sociais é crime previsto pelo ECA.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.