Internacionais

Homem recebe apoio emocional de jacaré para lidar com depressão

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

7 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 7 de fevereiro de 2019 - 00:00

(Foto: Reprodução/Facebook/Wallygator)

A morte de três amigos foi um duro golpe para Joie Henney que, com orientação médica, encontrou em ‘Wally’ a força que precisava

Wally, o jacaré de estimação do americano Joie Henney, de 65 anos, é muito mais do que um simples pet exótico. O réptil também é o responsável por oferecer apoio emocional ao dono, que busca lidar com a depressão. Em entrevista ao site Philly.com, Joie, que vive no condado de York, em Nebraska, contou que a morte de três amigos próximos em curto espaço de tempo foi algo devastador para ele. 

Jacaré ajudou em depressão

O sexagenário é ex-fuzileiro naval, já montou touros em rodeios e quebrava tabuas de madeira como artista marcial. Também trabalhou na construção civil e organizou um programa sobre caça num canal local. 

Joie criou fortes laços durante essas aventuras e, mesmo com cinco filhos e 18 netos, a partida dos amigos abriu um buraco na vida dele. “Meu médico queria me dar remédios para depressão, mas odeio tomar remédio”, explicou.

Um dia, quando estava prostrado de tristeza na cama, Wally foi até ele: “Trocamos carinho e lutamos. Ele gosta de lutar, me bate com o rabo”, lembrou. “Tenho Wally e, quando chego em casa e estou perto dele, fica tudo bem”.

O médico já sabia sobre o jacaré e resolveu dar uma chance à parceria humano-réptil. Assim, o pet foi registrado como “animal de apoio emocional”, uma prática cada vez mais aceita pela medicina no tratamento da depressão, segundo a publicação.

(Foto: Reprodução/Facebook/Wallygator)

Wally foi resgado

Wally completará 4 anos em julho e foi resgatado próximo a Orlando quando tinha apenas 14 meses. Joie explica que o amigo pode chegar a quase 5 metros de comprimento e 500 kg nos próximos anos.

Ele também tem consciência de que Wally é um animal selvagem, que pode arrancar o braço dele num simples descuido. No entanto, o senhor de 65 anos não acredita que isso vá acontecer: “Ele nunca tentou morder ninguém”.

Até porque o pet recebe o melhor que Joie pode proporcionar, como asas de frango e uma lagoa de plástico de 300 litros, onde brinca com Scrappy, um jacaré menor que também foi resgatado. Outra peculiaridade de Wally: ele adora assistir O Rei Leão. Fica a lição: a felicidade também pode ter sangue frio.

(Foto: Reprodução/Facebook/Wallygator)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.