Segurança

Homem que matou o pai à marretadas em Paranavaí é condenado no Tribunal do Júri

Além das marretadas, homem ainda esquartejou o corpo do pai e escondeu num canavial da cidade; cabeça nunca foi localizada

Giselle
Giselle Ulbrich / Editora
Homem que matou o pai à marretadas em Paranavaí é condenado no Tribunal do Júri
Leonardo Batista da Rocha, mostrando à polícia na época onde escondeu corpo do pai, Manoel. Foto: Reprodução / RIC Record TV Maringá

27 de agosto de 2021 - 17:48 - Atualizado em 27 de agosto de 2021 - 17:50

Leonardo Batista da Rocha, 23 anos, que matou o próprio pai a marretadas e depois o esquartejou, em 2019, foi condendo a 26 anos e 11 meses de prisão, nesta quinta-feira (27). Ele sentou-se no banco dos réus para responder pelo assassinato de Manoel Ferreira da Rocha, na época com 73 anos, que ocorreu na cidade de Paranavaí, no noroeste do Paraná.

A condenação foi pelos crimes de homicídio qualificado por meio cruel, ocultação do corpo e vilipêndio ao cadáver, já que além de matar o pai a marretadas, ele ainda esquartejou o corpo e escondeu os pedaços num canavial entre Paranavaí e Nova Aliança do Ivaí. A cabeça da vítima jamais foi encontrada.

Na época, ele fugiu da cidade com o carro de seu pai. Porém foi localizado facilmente pela polícia em Curitiba, devido aos sinais emitidos pela tornozeleira eletrônica que usava, já que Leonardo tinha passagens pela polícia por furto, ameaça e uso de drogas. Ao ser preso, ele mostrou à polícia onde estava o corpo do pai.

O réu ainda tentou envolver a própria namorada no caso, dizendo que quando saiu do banho, pegou seu pai se masturbando perto da adolescente. E que teria sido ideia dela o asssassinato. Mas esta tese foi afastada em plenário pela Promotoria de Justiça do Ministério Público do Paraná (MPPR).