Notícias

Homem é visto dirigindo carro de policial antes de assassinato; entenda

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

26 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 26 de novembro de 2018 - 00:00

A vítima prestava serviço para a Polícia Civil de Mandaguaçu quando foi assassinado (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Fulgêncio saiu de casa no dia 7 de novembro para ir à missa na Paróquia Santa Maria Goretti e, desde então, foi dado como desaparecido

A Polícia Civil de Maringá, no norte do Paraná, divulgou imagens do suspeito de matar Fulgêncio Sanches, de 39 anos, no dia 8 de novembro de 2018. A vítima prestava serviço para a Polícia Civil de Mandaguaçu quando foi assassinado.

Polícia quer identificar homem que dirige carro de homem desaparecido

O homem foi flagrado dirigindo o carro da vítima às 14h30 -três e meia no horário de verão- no dia que o policial foi encontrado morto. A polícia alega que, em uma hora, o suspeito conseguiu esquartejar Sanches e atear fogo no veículo.

Uma das hipóteses é que Fulgêncio estava no porta-malas do automóvel no momento da gravação do vídeo. O vídeo flagrou o momento que o carro de Sanches entra em uma estrada rural, que dá acesso para o local onde o corpo foi encontrado incendiado.

O Instituto Médico Legal (IML) ainda não confirmou se o cadáver encontrado dentro do carro é de Fulgêncio, já que o exame de DNA não está pronto. A polícia pede para que, se alguém puder ajudar no reconhecimento do suspeito, entre em contato com a Polícia Civil de Maringá ou pelo número 181.

Fulgêncio Sanches desaparece ao ir à missa

Fulgêncio saiu de casa no dia 7 de novembro para ir à missa na Paróquia Santa Maria Goretti, em Maringá. Desde então, a mãe não havia recebido notícias do filho. O carro da vítima foi encontrado, 24 horas depois, em uma estrada na zona rural de Paiçandu. No local, a polícia encontrou um facão e martelo, além do automóvel completamente incendiado.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.