Notícias

‘Testei positivo 43 vezes’, diz homem que teve o caso de Covid-19 mais longo do mundo

O homem ficou cerca de 10 meses infectados, perdeu 63 kg e chegou a ter uma crise de tosse que durou cinco horas

Aline
Aline Taveira / Produtora com informações da BBC News
‘Testei positivo 43 vezes’, diz homem que teve o caso de Covid-19 mais longo do mundo
(Foto: Reprocução/BBC News)

5 de julho de 2021 - 15:50 - Atualizado em 5 de julho de 2021 - 15:51

Um britânico teve o caso mais longo de Covid-19 já registrado no mundo. O instrutor de autoescola e músico nas horas vagas, Dave Smith, de 72 anos, contraiu a Covid-19 em março de 2020. O morador de Bristol, no oeste da Inglaterra, no entanto, não esperava o que estava por vir.

Dave testou positivo para a doença 43 vezes e só se curou 290 dias depois da infecção.

“Todos os testes davam positivo. Uma semana depois, positivo. Rezava para que o próximo fosse negativo, mas nunca era”, contou ele em entrevista à BBC.

O sistema imunológico estava vulnerável por causa de sessões de quimioterapias realizadas anteriormente para tratar leucemia. Dave afirmou à BBC que, nesses dez meses com a Covid-19, foi parar no hospital sete vezes e perdeu 63 kg durante o tempo em que teve a doença.

“Uma vez eu tossi por 5 horas sem parar. Não falo de tossir, parar, tossir, parar. Mas de tossir, tossir e tossir sem parar, por 5 horas. Consegue imaginar o cansaço que isso causa ao seu corpo?”, relata.

Dave conta que chegou a se despedir da família.

“Fiquei resignado. Liguei para minha família, fiz as pazes com todos e me despedi. Fiz uma lista com as músicas que queria que tocassem em meu velório”, diz ele.

A melhora só veio, porém, ao fim de 10 meses, quando Dave foi tratado com um coquetel de remédios antivirais cedidos pela empresa americana Regeneron. Quando recebeu a ligação de que havia testado negativo, ele não acreditou.

“Tínhamos uma garrafa de champanhe fazia não sei quanto tempo. Abrimos e bebemos. E nós nem bebemos”, conta.

Segundo a BBC, não é possível, no entanto, afirmar que foi o coquetel de remédios o responsável pela melhora de Dave. Ed Moran, médico do Southmed Hospital, onde Dave se tratou, diz que a única maneira de ter certeza disso é através de um estudo adequado.

“Havia uma chance pequena de que ele estava prestes a melhorar, por conta própria, e isso seria apenas uma coincidência. Isso seria uma história de paciente, uma anedota. Mas é bem convincente, já que ele estava mal fazia 10 meses ou mais e sua recuperação foi associada ao uso deste agente.”

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.