Balanço Geral Londrina

Guardas municipais de Londrina são presos por suspeita de participação em morte de adolescente

Os guardas municipais deverão responder por homicídio, coação de testemunhas e fraude processual

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

5 de novembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:47

Dois guardas municipais de Londrina, no norte do Paraná, foram presos, na manhã desta terça-feira (5), por suspeita de participação na morte de um adolescente de 16 anos. (Assista vídeo abaixo)

O crime aconteceu no dia 2 de outubro deste ano, no Jardim Bandeirantes. Na ocasião, a equipe da Guarda Municipal registrou a ocorrência como se tivesse chegado ao local e encontrado a vítima já atingida por um tiro nas costas

Com o adolescente que morreu foram encontradas porções de drogas e dinheiro.

Guardas municipais de Londrina são presos por crime 

No entanto, segundo a Delegacia de Homicídios, seis testemunhas que presenciaram a ação afirmaram que os dois guardas municipais foram os autores dos disparos de arma de fogo

“Um testemunha que estava no local relatou que foi coagida pelos guardas municipais a confirmar a versão deles. Também verificou-se que os guardas que estava no local ficaram bastante tempo vasculhando o local com a finalidade de recolher o estojo da munição que disparou. Não foi possível localizar o estojo para efetuar o confronto balístico e como o projétil transfixou o tórax do adolescente não é possível também fazer confronto com esse projétil”,  explicou o delegado João Batista Reis. 

A cápsula do tiro disparo nunca foi localizada. 

Polícia não divulga identidade dos suspeitos

A polícia não divulgou a identidade dos guardas municipais presos em Londrina. Mas informou que as armas que eles usavam em serviço, assim como seus aparelhos celulares pessoais foram apreendidos para que possam passar por perícia. 

Os dois guardas municipais são investigados por homicídio, coação de testemunhas e fraude processual.

O que diz a Guarda Municipal

De acordo com Pedro Ramos, secretário de Defesa Social, que coordenada a Guarda Municipal de Londrina, será aberto um processo administrativo paralelo a investigação da Polícia Civil. “Com as provas que geraram essa prisão, nós estamos afastando inicialmente os dois guardas das funções, até porque no momento estão presos, e instaurando um processo administrativo para apurar do ponto de vista administrativo as infrações que foram cometidas”, declarou.

Outro caso

É o segundo caso em menos de dois anos em que guardas municipais de Londrina se envolvem em situação de homicídio e fraude processual. Recentemente, dois outros guardas foram exonerados e devem ir a júri popular pelo assassinato de Matheus Evangelista, ocorrido em março de 2018. 

Matheus Evangelista foi morto por guardas municipais de Londrina em 2018. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

Matheus tinha 18 anos e morreu com um tiro no pescoço durante uma abordagem da Guarda Municipal. O jovem participava de uma festa na zona norte da cidade. 

Assista à reportagem completa: 

A RIC Record TV conta todos os detalhes sobre os guardas municipais presos em Londrina

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.