Notícias

Governo Temer negocia aprovação de reformas com partidos nanicos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

25 de abril de 2017 - 00:00 - Atualizado em 25 de abril de 2017 - 00:00

Foto: Alan Santos/PR

Partidos pedem cargos no 3º escalão do governo em troca de apoio nas votações da Câmara

Em busca de apoio para conseguir aprovar as reformas na Câmara, principalmente a Reforma da Previdência, o governo de Michel Temer deu início a uma ofensiva até sobre os partidos nanicos na Casa. Na negociação, essas legendas pleiteiam cargos no terceiro escalão do Executivo e oferecem, em troca, a garantia de que a maioria de suas bancadas votará a favor das reformas.

Com cinco deputados, o PROS negocia com o Planalto uma diretoria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). No início do governo Michel Temer, a sigla chegou a ter a presidência do órgão, com Gastão Vieira. Em dezembro de 2016, porém, ele foi substituído por Silvio Pinheiro, indicado pelo DEM.

Na última quinta-feira (20), o governo também trocou o presidente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para atender o PTN, sigla que tem 13 deputados e que ameaçava deixar a base aliada ou votar contra as reformas, caso não conseguisse o cargo. Para atender o partido, Temer teve de abrir mão de uma indicação pessoal, do então presidente Antônio Henrique Pires, para nomear Rodrigo Dias, indicado pelo PTN.

Com sete deputados, a negociação com o PHS é “caso a caso”. Segundo fontes do governo, o partido pleiteia diretorias em órgãos do terceiro escalão e deve ser atendido. Entre os nanicos a sigla é a que mais preocupa: na primeira votação da urgência da reforma trabalhista, cinco deputados foram contra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.