Notícias

Governo proíbe queimadas legais por 120 dias e prorroga presença militar na Amazônia

Reuters
Reuters
Governo proíbe queimadas legais por 120 dias e prorroga presença militar na Amazônia
Incêndio em terra indígena no Estado do Amazonas

29 de junho de 2021 - 10:27 - Atualizado em 29 de junho de 2021 - 10:30

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – O governo do presidente Jair Bolsonaro editou decreto em que suspende a permissão do emprego do fogo em todo o território nacional por 120 dias, segundo norma publicada nesta terça-feira, e em outra normativa prorrogou a presença dos militares para combate a crimes ambientais na Amazônia.

Procurado, o Ministério do Meio Ambiente não comentou de imediato a adoção do decreto sobre a suspensão das queimadas legais.

As queimadas só serão permitidas em hipóteses como prevenção e combates a incêndios florestais no país, práticas agrícolas de subsistência executadas pelas populações tradicionais e indígenas, atividades de pesquisa científica realizadas por Instituição Científica, Tecnológica e de Inovação e controle fitossanitário.

O decreto também permite queimadas controladas –desde que não seja em áreas não localizadas nos biomas Amazônia e Pantanal–, e que sejam imprescindíveis à realização de práticas agrícolas e previamente autorizadas pelo órgão ambiental estadual ou distrital, conforme a legislação.

A norma foi assinada por Bolsonaro e pelo novo ministro do Meio Ambiente, Joaquim Alvaro Pereira Leite.

Em um decreto separado, o governo também prorrogou por mais dois meses a presença de militares na Amazônia para o combate a crimes ambientais. O prazo da operação Garantia da Lei e da Ordem (GLO) ambiental vai até o final de agosto.

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5S0T7-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.