Notícias

Gêmeos de grávida com morte cerebral recebem alta médica; veja fotos

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

29 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 29 de maio de 2017 - 00:00

Gêmeos ficaram 99 dias internados no Hospital do Rocio (Foto: RICTV Curitiba)

Bebês nasceram aos sete meses de gestação, 123 dias depois que a mãe foi diagnosticada com morte encefálica

*Com informações das jornalistas Simone Hammes e Paula Girardi, da RICTV Curitiba

Os gêmeos Anna Vitória e Asaph, filhos de Frankielen Zampoli, que deu os bebês à luz mesmo após a morte cerebral, tiveram alta médica nesta segunda-feira (29), depois de 99 dias internados no Hospital do Rocio, em Campo Largo, Região Metropolitana de Curitiba.

Anna Vitória deixa o hospital pesando 3,4 quilos, e seu irmão, Asaph, 3,1 quilos. Os gêmeos nasceram no dia 22 de fevereiro, 123 dias depois da mãe, que tinha 21 anos, ter a morte cerebral atestada, em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O corpo de Frankielen foi mantido funcionando por aparelhos, e a equipe médica do Hospital do Rocio iniciou uma série de terapias para que as crianças, que eram apenas embriões quando a mãe faleceu, pudessem terminar de se desenvolver dentro do ventre materno. O caso é considerado inédito na medicina mundial.

O pediatra e neonatalogista Edmilson Scharam, explica que as crianças se desenvolveram e ganharam peso graças a doação de leite humano.

As crianças irão passar o centésimo dia de vida em casa, ao lado do pai, da irmã mais velha e da avó. A equipe de médicos e enfermeiros afirma que vai ser impossível não sentir saudades. “Não tem como não se apegar. Foram meses de cuidados diários, torcendo por eles”, disse a enfermeira Raphaela Zanão Coura.

Apesar da dor de ter perdido a esposa tão jovem, sem ter tido a chance de conhecer os filhos, o pai dos gêmeos, Muriel Padilha, de 25 anos, está feliz. Ele fez aniversário no último sábado (27) e diz que não poderia receber presente melhor. Para ele, o nascimento das crianças foi um milagre. O fato de terem conseguido sobreviver, mesmo tão pequenos, e saírem do hospital, foi mais um milagre. “Agora eu não largo mais dos meus milagres”, comemorou o pai.

Assista à reportagem do RIC Notícias sobre o caso.

Saiba mais
Paciente de Curitiba recebe o coração de Frankielen Zampoli
Médico que cuidou de Frankielen Zampoli se emociona ao falar do caso 

 

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.