Notícias

Garotas confessam assassinato de contador aposentado em Curitiba

O idoso de 69 anos foi encontrado morto com mais de 30 facadas dentro de seu próprio apartamento; as jovens não foram presas

Caroline
Caroline Berticelli / Editora
Garotas confessam assassinato de contador aposentado em Curitiba
O homem era viúvo e vivia sozinho na residência. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

31 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:58

Duas jovens, uma de 15 e outras de 19 anos, confessaram o assassinato de Paulo Roberto Pereira dos Santos, de 69 anos, no último sábado (28). Ele foi encontrado morto com mais de 30 facadas dentro de seu próprio apartamento, localizado na Rua Major Vicente de Castro, no Vila Fanny, em Curitiba. 

No entanto, como o homicídio ocorreu entre a noite de 26 e a madrugada de 27 de dezembro, as duas foram liberadas após prestarem depoimento, já que o prazo no qual a polícia pode realizar a prisão em flagrante havia terminado. 

Entenda o assassinato do contador 

No dia 26 de dezembro, no fim da tarde, o contador aposentado chegou ao condomínio onde vivia de carro e acompanhado das garotas. Segundo os porteiros que trabalham no local, as duas costumavam frequentar a residência da vítima constantemente

Por volta das 20h, o idoso e as jovens saíram pelo portão de acesso de pedestres e retornaram após cerca de 1h, por volta das 21h. Já na madrugada de 27 de dezembro, às 2h30, as câmeras de segurança registraram o momento em que as duas deixam o apartamento, descem até o estacionamento, pegam o carro da vítima e saem do local

garotas-confessam-assassinato-de-contador-em-curitiba

O contador foi encontrado morto dentro do apartamento em que vivia. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

No sábado (28), o veículo foi encontrado abandonado em Paranaguá, no litoral do Paraná. No mesmo dia, as garotas procuraram a Guarda Municipal de Curitiba e confessaram a autoria do crime. Foi então que os GM’s entraram em contato com um funcionário do prédio onde o contador vivia e solicitaram que o homem interfonasse ao apartamento. Como ninguém atendeu, a Polícia Militar foi chamada e o corpo da vítima foi localizado. 

Na sequência, ambas foram encaminhadas a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Onde novamente assumiram o homicídio e explicaram que após seguir de carro até o litoral, abandonaram o veículo e retornaram de ônibus para a capital. 

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga o caso. A motivação do crime ainda não foi esclarecida. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.