Notícias

Gambás invadem áreas urbanas em busca de alimentos em Florianópolis

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

15 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 15 de novembro de 2018 - 00:00

Gambás de orelha branca e orelha preta podem ser encontrados (Foto: reprodução RICTV SC)

A primavera é a época de acasalamento e reprodução dos gambás, que por encontrarem mais dificuldade para comer em áreas florestais, migram para centros urbanos em busca de comida

A primavera é a época de acasalamento e reprodução dos gambás, que podem ser encontrados em duas espécies na região de Florianópolis, em Santa Catarina (SC): os gambás de orelhas preta e os de orelhas branca.

Animais andam em bando na primavera

Nesta época, é bem comum que estes bichos sejam vistos com mais frequência em áreas urbanas, já que normalmente andam em bandos na primavera. Em geral, em outras estações, os animais não costumam aparecer muito em áreas urbanas e vivem isolados.

Número de gambás não aumentou na região

De acordo com Marcelo Verondino Duarte, Subtenente da Polícia Militar Ambiental, a situação não significa que teve um aumento da população destes animais. “O número de gambás que estamos recebendo continuam os mesmos. Ele é o mamífero que mais recebemos no centro de triagem. São cerca de 200/300 por ano”, explica.

Em Santa Catarina, na ilha de Florianópolis, duas espécies de gambás podem ser encontrados: os de orelhas branca e os de orelhas preta. Na fase adulta, o corpo destes bichos pode medir entre 40 e 50 centímetros, além do rabo, que pode chegar a 40 centímetros de comprimento.

Duarte explica que os gambás saem da mata em busca de alimentos na cidade, e podem até invadir casas e revirar lixos pela vizinhança.

Os animais possuem hábito noturno – ou seja, dormem de dia e saem em busca de comida no período da noite.

Transmissão de doenças

Os animais podem transmitir doenças como leptospirose e raiva, caso entrem em contato muito próximo com os humanos.

Eles são considerados silvestres e são protegidos por lei. Maltratar, abandonar ou até mesmo praticar a caça de gambás é crime, e tem pena prevista de três meses a um ano de detenção.

Além disso, o infrator pode ter que pagar uma multa de R$ 500 a R$ 3 mil por indivíduo maltratado.

Assista a matéria com mais informações do repórter Paulo Mueller, da RICTV SC! 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.