Notícias

Gabinete da China diz que usará cortes de compulsório para sustentar economia real

Reuters
Reuters
Gabinete da China diz que usará cortes de compulsório para sustentar economia real
Nota de iuane, moeda da China

7 de julho de 2021 - 16:25

PEQUIM (Reuters) – A China usará cortes oportunos na taxa de compulsório dos bancos para sustentar a economia real, especialmente pequenas empresas, disse o gabinete nesta quarta-feira.

O Banco do Povo da China (PBOC) tem reduzido gradualmente o estímulo da pandemia para conter os riscos de dívida, mantendo baixos os custos dos empréstimos e dizendo aos bancos para manterem o apoio às pequenas empresas.

A China vai “usar ferramentas de política monetária, incluindo cortes de compulsório, em tempo hábil para aumentar ainda mais o apoio financeiro para a economia real, especialmente as pequenas empresas”, disse o gabinete em comunicado após uma reunião regular.

A China vai reduzir os custos de financiamento para pequenas empresas buscando ajudá-las a lidar com a alta dos preços de commodities, disse o gabinete.

O país ainda vai manter sua política monetária estável enquanto aumenta a efetividade dela, mas não recorrerá a estímulos exacerbados, acrescentou.

Wen Bin, economista sênior do Minsheng Bank, disse esperar que o banco central revele cortes de compulsório direcionados para bancos menores, para encorajá-los a emprestar mais dinheiro a pequenas empresas.

“Há espaço para cortar o compulsório, o que ajudará a liberar fundos de longo prazo e estimulará os bancos a reduzir os custos de financiamento”, disse ele.

A última vez que o banco central cortou o compulsório –quantidade de dinheiro que os bancos precisam manter como reserva –foi em abril de 2020, em uma tentativa de sustentar a economia prejudicada pela Covid-19.

A economia da China, a segunda maior do mundo, está desacelerando de um crescimento recorde de 18,3% no primeiro trimestre, quando a leitura foi altamente distorcida devido aos efeitos de base de comparação com o início de 2020.

(Reportagem de Colin Qian, Judy Hua e Kevin Yao)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH6618C-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.