Notícias

“Quem fez fui eu”, diz ex-namorado de mulher assassinada de forma brutal em Curitiba

O homem mandou uma mensagem de áudio para a mãe da vítima; Cleciane Scariot foi encontrada morta dentro da própria residência

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem de Ricardo Vilches da RIC Record TV, Curitiba
“Quem fez fui eu”, diz ex-namorado de mulher assassinada de forma brutal em Curitiba
Cleciane foi morta com inúmeras facadas. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

3 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:53

O ex-namorado de Cleciane Scariot, de 37 anos, assassinada dentro da própria casa no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, no último sábado (1º), confessou o crime para a mãe da vítima por uma mensagem de áudio, enviada pelo WhatsApp. (Assista reportagem abaixo) 

“Dona *, você sabe que eu fui embora? Você sabe? O dia que eu fui lá, ela estava…noiada. Ela nem levantou da cadeira pra pegar os biquínis dela. Entendeu? Primeira coisa, o meu filho não tem nada a ver com isso. Quem fez fui eu. Quem fez fui eu”, declarou o homem que ainda não é apontado como suspeito pela Polícia Civil. 

A mãe de Cleciane, que prefere não se identificar por medo, explica o casal sempre viveu um relacionamento conturbado:

”Ele mandou esse áudio pra mim depois que ele matou a minha filha. No áudio ele tá confessando o crime. Ele é o namorado da minha filha, ficaram até uns dois meses juntos, daí, ele saiu e não quis mais ela. Aí, agora esses dias, ele voltou e queria ficar com ela, e ela não aceitou mais ele e ele foi e matou ela”, declara.

Vítima era dependente química

Ainda segundo a mulher, o homem conhecido como “Véio” é traficante e Cleciane teria se envolvido com ele porque era dependente química, por isso também, aceitava ser constantemente agredida pelo namorado violento. A relação entre os dois durou cerca de um ano e meio entre idas e vindas e há cerca de um mês, ela teria, inclusive, perdido um filho que esperava dele. 

“Ela tava grávida, ela perdeu o filho porque ele judiou muito dela. Faz um mês mais ou menos. […] Ele ameaçou algumas vezes elas, aí eu conversei com ele, falei ‘Não quero que você bata na minha filha. Se não dar larga da minha filha que eu cuido dela e olha só o que que deu”, finaliza a mãe. 

O crime 

Cleciane foi encontrada morta dentro de sua residência, localizada na Rua doutor Lauro Gentil Portugal Tavares, na manhã de sábado. Segundo a Polícia Civil, ela foi assassinada com inúmeros golpes de faca, distribuídos entre tórax, face e pescoço

No local do crime, não foram encontrados sinais de arrombamento e nada foi levado. 

A vítima tinha dois filhos, um de 2 anos e outro de 19.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.