Notícias

Filipino que matou mulher em Paranaguá é condenado a 12 anos de prisão

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 30 de novembro de 2018 - 00:00

Claudia Gaspar foi morta pelo filipino com golpes na cabeça. (Foto: Reprodução/RICTV)

O rapaz, que era tripulante de um navio, assassinou de forma cruel uma garota de programa

Um filipino que matou uma mulher em Paranaguá, no litoral do Paraná, foi condenado, pelo Tribunal do Júri da cidade, a 12 anos de prisão por homicídio qualificado durante o julgamento realizado nesta sexta-feira (30) . O crime ocorreu em março deste ano.

De acordo com a denúncia apresentada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), o réu, natural das Filipinas, era tripulante de um navio que estava atracado no Porto de Paranaguá e desembarcou no dia 19 de março. Após sair do navio, ele seguiu para  a boate onde Claudia Gaspar, de 38 anos, trabalhava como garota de programa. Depois de conhecer a mulher, os dois seguiram para a casa dela, já na madrugada do dia 20, onde ocorreu o crime. Conforme o inquérito, ela foi assassinada com diversos golpes – de uma garrafa de vidro e um tijolo de concreto –  na cabeça

O réu, que está preso desde o dia do crime, não poderá recorrer em liberdade.

O assassinato da garota de programa em Paranaguá

O crime foi descoberto depois que colegas de profissão de Claudia estranharam que ela não apareceu na casa noturna, que fica na região portuária, para trabalhar na noite do dia 20.

Ele foi preso no dia do crime. (Foto: Reprodução/RICTV)


A polícia chegou até o suspeito depois que outro suspeitos afirmaram que ele foi a última pessoas a ser vista com a vítima. O taxista que levou os dois para a casa da mulher confirmou a informação. “Por volta das 3h, assim que fechou a casa, ela pediu para eu levar ela para a casa dela e estavam os dois. Ele estava totalmente alterado já, bem alcoolizado, bel alterado, bem nervoso”, contou o homem que não quis se identificar. Também foram encontrados pertences do filipino dentro da residência.

Ele foi detido com várias lesões no corpo a bordo do navio que deixaria o Porto de Paranaguá na noite do dia 21. Na cabine do tripulante foram localizadas roupas sujas de sangue.

Na ocasião, ele negou a autoria do crime e disse que enquanto estava com a mulher, dois homens estiveram no local para cometer um roubo e teriam matado a vítima.

O filipino foi detido dentro do navio em que era tripulante. (Foto: Reprodução/RICTV)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.