Notícias

Filhos de cabeleireira morta pelo ex-marido não param de falar que o pai matou a mãe

Os dois meninos, de 6 e 9 anos, viram o advogado Michael Gonçalves Barreto matar a ex-companheira em Pinhais, na Grande Curitiba

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem de Tiago Silva da RIC Record TV, Curitiba
Filhos de cabeleireira morta pelo ex-marido não param de falar que o pai matou a mãe
Valdineia foi morta pelo ex-companheiro com vários disparos de uma pistola .380 (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

7 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:48

Os dois filhos de Valdinéia Soares Pereira, um de 6 e outro de 9 anos, viram a mãe ser morta a tiros pelo pai, o advogado Michael Gonçalves Barreto, na segunda-feira (6) em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, e agora não param de repetir que o “pai matou a mãe”. A informação foi confirmada por familiares da vítima nesta terça-feira (7) durante o sepultamento. 

“A gente não tem nem o que falar numa hora dessas. Ficou os dois menininhos, hoje eles só falam na mão deles. O dia inteiro só falando da mãe, que o pai tinha matado a própria mãe. Eles viram tudo a cena. Ainda a hora que ele saiu, um dos meninos estava na porta e ele empurrou o menino”, diz Sérgio, um dos irmão de Valdinéia. 

Valdineia e Michael foram casados por aproximadamente 10 anos e estavam separados há pelo menos um ano. Por volta do meio-dia de segunda, ele foi até a casa onde ela vivia com os filhos e depois de discutir com a mulher do portão, invadiu o local e efetuou entre cinco e seis disparos de arma de fogo contra ela. Ele fugiu do local, mas se apresentou na delegacia horas mais tarde. 

Por ter sido ameaçada inúmeras vezes, a vítima possuía uma medida protetiva contra o ex-marido e havia instalado um aplicativo para pedir socorro quando ele se aproximasse. Conforme o relato de um dos filhos, não houve tempo para o pedido, quando a mãe ia apertar o botão de socorro, o advogado atirou

À polícia, Michael relatou que a discussão foi porque a mulher não deixava ele ver os filhos e que os disparos foram acidentais. No entanto, a família de Valdinéia nega que o suspeito não pudesse ver as crianças e o delegado responsável pela investigação, por sua vez, rechaçou a hipótese dos tiros não intencionais

“Os dois começaram a discutir e ela veio até a porta da frente da casa, nessa discussão, ela entrou, ele foi atrás e ele simplesmente sacou a arma, uma pistola calibre 380, e fez os disparos contra ela. […] Ele falou que quando puxou a arma a arma já disparou, mas eu estive no local e verifiquei que isso não condiz com a verdade porque ela foi alvejada na parte anterior e também na parte posterior do tórax”, explica o delegado Hermínio de Paula. 

Além disso, informações apuradas pela RIC Record TV, apontam que a discussão entre o ex-casal ocorreu porque o advogado estava com ciúmes depois que a mulher declarou estar em um novo relacionamento

filhos-cabeleireira-morta-ex-marido-falar-pai-matou-mae

O advogado confessou que matou a ex-esposa e foi preso em flagrante. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

O irmão de Valdinéia também faz questão de relatar que o casamento dos dois sempre foi complicado e que o ex-cunhado chegou a bater na esposa quando ela estava grávida do segundo filho

“Uma vez lá na casa da minha mãe, quando ela estava para ganhar o segundo menino. Eles estavam separados na época e ela foi lá para Joinville para ganhar o menino. Isso foi em 2013. Ele fez uma agressão que se não fosse a minha irmã Célia chegar, ele tinha matado ela estrangulada. Mas porque ela gostava dele, depois de um tempo ela voltou para Curitiba e ficou até dia 19 de fevereiro morando com ele”, lembra. 

João, casado com uma irmã de Valdinéia, finaliza:

“Ele não pode ficar solto, ele matou uma mãe e deixou os dois filhos em cima do sangue dela. Os pratinhos de comida ficaram pela metade. Como que pode um pai chegar e fazer isso: Na frente dos filhos? Quem vai consolar a mãe que está lá ajoelhada do lado do caixão e não querem deixar abrir”. 

O advogado foi preso em flagrante e está preso à disposição da Justiça.  A guarda das crianças foi passada temporariamente para os familiares da cabeleireira.