Fernanda
Fernanda Xavier da equipe de estágio RIC Mais, sob supervisão de Larissa Ilaídes

26 de maio de 2020 - 00:00

Atualizado em 26 de maio de 2020 - 00:00

Notícias

#FicaEmCasa e #BrasilNãoPodeParar | Opiniões contrárias sobre isolmento social na internet

Em apenas uma semana, foram quatro milhões de tweets sobre o tema, segundo levantamento da Knewin

#FicaEmCasa e #BrasilNãoPodeParar | Opiniões contrárias sobre isolmento social na internet
#FicaEmCasa e #BrasilNãoPodeParar
A discussão sobre isolamento social tem levantado bandeiras contrárias no Twitter dos brasileiros. É o que mostra o levantamento da Knewin, empresa de tecnologia que usa inteligência artificial para mudar negócios. Entre os dias 11 e 17 de maio, a rede social somou mais de quatro milhões de tweets sobre o tema.

O pico das postagens aconteceu em 14 e 15 de maio, repercutindo opiniões contra e a favor do isolamento, respectivamente. Apenas no dia 14 foram mais de 20 mil tweets contra e menos de 15 mil a favor, com destaque para #BrasilNaoPodeParar.
fica-em-casa-e-brasil-nao-pode-parar

#FicaEmCasa e #BrasilNãoPodeParar | Opiniões contrárias sobre isolmento social na internet (Foto: Divulgação)

Acontecimentos durante esse período

Esta data foi marcada pela alta do dólar, que chegou a quase R﹩ 6, pela marca de 300 mil mortos por Covid-19 no mundo e pela discussão entre a Presidência e o Ministério da Saúde quanto ao uso de cloroquina como tratamento do vírus pandêmico.

Já a sexta-feira, 15 de maio, teve 30 mil tweets a favor vs. 5 mil contra o isolamento social, usando hashtags como #FicaEmCasa. Durante o dia, a saída de Nelson Teich do Ministério da Saúde acometeu a mídia, assim como a retração da economia em 1,95% no primeiro trimestre do ano e o desemprego atingindo 12,9 milhões de brasileiros.
Os sentimentos gerais associados às postagens entre 11 e 17 de maio são de indignação, tristeza e saudade, respectivamente. A saudade toma conta em 14/05 e a indignação, em 15/05, ambos com tristeza em segundo lugar.

A saída de Nelson Teich do Ministério da Saúde -a segunda troca de ministros da Saúde em meio à pandemia – causa ainda mais instabilidade e incerteza quanto ao cenário nacional, instigando opiniões contrárias.