Notícias

Família é mantida em cárcere privado por dívida de R$ 60 reais

Uma adolescente, um bebê e um jovem foram mantidos em cárcere privado por quatro dias

Mirian
Mirian Villa
Família é mantida em cárcere privado por dívida de R$ 60 reais
Um bebê de um mês ficou na mira do traficante por quatro dias (Foto: Dionei Santos/RIC Record TV)

25 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:35

Um homem foi preso nesta terça-feira (24) depois que uma família foi mantida em cárcere privado, na Cidade Industrial de Curitiba, por causa de uma dívida de R$ 60 reais. Um bebê de um mês ficou na mira do traficante por quatro dias.

Família foi mantida em cárcere privado por quatro dias

De acordo com a Polícia Milita (PM), um homem, de 21 anos, foi até a casa do suspeito para pegar R$ 60 reais em drogas, mas ele já possuía dívidas com o traficante. Como garantia que iria pagar, ele deixou a esposa, de 15 anos, e o filho recém-nascido no local.

Em seguida, homem foi para casa buscar dinheiro para pagar a dívida, mas voltou sem o dinheiro e sem a droga que havia levado. Então, o traficante resolveu prender os três na casa até que a dívida fosse paga.

O cativeiro onde o casal ficou com a criança era pequeno, havia uma sala, um banheiro e uma quarto com um colchão de solteiro. Na entrada, havia uma câmera de monitoramento, que era assistida pelo traficante.

Vítima conseguiu sair da casa e ligar para à polícia

A família só foi libertada depois que o homem convenceu o traficante que deveria sair para tentar reaver o dinheiro. Foi nesse momento que ele ligou para o 190 pedindo por ajuda.

Segundo a PM, quando o traficante viu a equipe do lado de fora da casa, orientou a mãe a sair da casa com a criança e contar aos policiais o marido  estava dentro da casa. Porém, quando encontrou os policiais, a mulher contou a verdade: que era o traficante que estava na residência.

Já o traficante, de 33 anos, tinha mandado de prisão em aberto e deveria estar cumprido pena com tornozeleira eletrônica. Ele foi encaminhado para a Central de Flagrantes.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.