Notícias

Família de criança atacada por macaco está com medo de voltar para casa

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

19 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 19 de novembro de 2018 - 00:00

O macaco em Araucária é da espécie bugio. (Foto: Divulgação)

A menina de um ano e dez meses passou por uma cirurgia na face, no Hospital do Trabalhador, e recebeu alta nesta segunda-feira (19)

A família da criança que foi atacada por um macaco em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, está com medo de voltar para casa depois que o animal, da espécie bugio, invadiu o apartamento e feriu a menina de um ano e dez meses. O incidente foi no dia 13 de novembro, e na ocasião, a mãe do bebê também foi mordida. (Veja abaixo um vídeo do animal abrindo uma janela no codomínio)

A criança que passou por uma cirurgia na face, no Hospital do Trabalhador, em Curitiba, recebeu alta nesta segunda-feira (19) e passa bem. No entanto, a família preferiu não voltar para o apartamento onde tudo aconteceu. De acordo com informações, eles estão hospedados em casa de familiares e pretendem instalar redes de proteção no apartamento em Araucária, já que, por enquanto, o macaco não será retirado do local.

Além da menina que foi ferida no rosto pelo macaco e a mãe que foi mordida, a irmã da criança que presenciou o ataque também está traumatizada com o ocorrido.

Macaco de Araucária: Prefeitura não irá retirar animal do condomínio

A retirada do animal do condomínio estava prevista para esta segunda-feira (19), mas foi adiada pela Prefeitura de Araucária. A administração municipal explicou que foi determinado que a Força Verde não faça a captura do macaco, pois o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) não vai receber o animal e não autoriza a Prefeitura de Araucária a mexer no macaco bugio.

Em nota, a prefeitura explicou ao Portal RIC Mais que um representante do IAP informou que a autorização não seria dada, pois o bugio não deve ser retirado do bando ou aprisionado, e animais de vida livre são de responsabilidade do IBAMA e que aquele local tornou-se habitat do bugio, já que foi alimentado pela população.

Ainda conforme a administração de Araucária, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) será acionado sobre o caso. “A Prefeitura Municipal de Araucária informa que comunicará o Ministério Público sobre o caso e se encontra disponível e preparada para a retirada, em conjunto a Força Verde e Prefeitura de Curitiba, caso obtenha a autorização do órgão competente”, diz a nota.

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) ainda não se pronunciou oficialmente.

O macaco costuma andar livremente pelo condomínio. (Foto: Ed Dimas da Cunha/Arquivo Pessoal)

Veja um vídeo do macaco abrindo a porta de uma sacada:

Nas imagens é possível ver que o animal está habituado com local.

Entenda o ataque do animal

Na noite de terça-feira (13), próximo ao horário do jantar, o macaco entrou pela porta da sacada do apartamento da família, enquanto a criança estava na cadeirinha de alimentação e jogou a cadeira com a bebê no chão.   

Desesperada, a mãe, tentando livrar a criança do animal, pegou o macaco pela pelagem e acabou mordida no braço. Já a menina sofreu um corte profundo na face e precisou passar por uma cirurgia reconstrutiva.

O caso aconteceu em um apartamento no térreo, ao lado do cemitério do bairro Boqueirão. 

Macaco está na região há quatro meses

Moradores reclamam que o macaco bugio está solto há quatro meses em uma mata que fica ao lado do condomínioEd Dimas da Cunha, síndico do condomínio, afirma que o sentimento neste momento é de revolta, incapacidade e injustiça. “Pra que servem os órgãos públicos? Apenas para multar e defender animais e não as pessoas? Não vão retirar os animais e nem deixar ninguém retirar, como vamos conviver com isso? O próprio secretário falou que não há possibilidade de retirada das árvores, então não temos o que fazer, mesmo com cerca de 30 metros ele continuaria passando”, desabafou.

Assista um vídeo do macaco nas árvores do condomínio:

Moradores gravaram o animal em Araucária.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.