Brasil

Família aluga casa e encontra proprietária do imóvel enterrada no quintal

A dona do imóvel tinha 62 anos e estava desaparecida desde 2013

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da BBC News
Família aluga casa e encontra proprietária do imóvel enterrada no quintal
(Foto: Arquivo pessoal)

27 de julho de 2021 - 12:42 - Atualizado em 27 de julho de 2021 - 12:42

Uma família descobriu que a proprietária da casa que haviam acabado de alugar estava morta e enterrada no jardim da residência, em Ubatuba, litoral de São Paulo. A mulher estava desaparecida desde 2013, quando tinha 62 anos.

À BBC, os novos inquilinos contaram que sabiam do desaparecimento da dona da casa, mas foi algo que se tornou irrelevante com o tempo. A família contou que o caso era até motivo de piada entre eles, que riam pensando que a dona estivesse enterrada no jardim.

A descoberta veio em janeiro deste ano. O inquilino e seu filho mais velho preparavam o solo para a grama quando viram um pedaço de tecido saindo da terra, na parte final do jardim, onde haviam acabado de retirar os lírios da paz.

“Na hora, falei: achamos a dona da casa. Fiquei sem reação. Foi horrível, você não quer acreditar que aquilo tá acontecendo contigo. Parece que o tempo congela. Passa um milhão de coisas na cabeça. Perde o chão”, disse o inquilino.

A identificação da ossada da idosa foi feita depois que uma amiga da vítima reconheceu que ela tinha uma prótese metálica na coluna, encontrada em meio aos restos mortais. Uma análise da arcada dentária também confirmou a identidade da dona da casa.

Depois, uma análise da arcada dentária confirmou que era realmente a antiga dona da casa.

Segundo a polícia, não havia suspeitas de que Luzia pudesse estar enterrada no quintal da própria casa. As flores e os tijolos deixados especificamente onde ela estava enterrada deixaram a impressão de que foram uma tentativa de dificultar a localização do restos mortais da idosa.

De acordo com a BBC, a Polícia Civil de Ubatuba instaurou um inquérito sobre o material encontrado no jardim e a investigação sobre o desaparecimento dela, aberta em 2013, foi desarquivada. Até o momento, a polícia não sabe se o crime foi praticado por uma única pessoa ou se envolveu mais gente.