Agronegócio

Exportações brasileiras de carne de frango aumentaram 33%

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

5 de fevereiro de 2014 - 00:00 - Atualizado em 5 de fevereiro de 2014 - 00:00

Levantamentos feitos pela União Brasileira de Avicultura (UBABEF) indicam que as exportações brasileiras de carne de frango totais (incluindo frango inteiro, cortes, salgados e industrializados) cresceram 3,3% em janeiro, totalizando 300 mil toneladas neste ano, frente as 290,4 mil toneladas do primeiro mês de 2013. (Agrolink)

Clima

Fevereiro será decisivo para a agricultura. A estiagem de dezembro e janeiro aumentou a preocupação sobre o clima em um mês muito relevante para o desenvolvimento das lavouras. E as notícias não são animadoras. De acordo com a Somar Meteorologia, o clima não mudará nas três primeiras semanas deste mês. As temperaturas vão continuar muito elevadas e as chuvas abaixo da média.

A previsão vale para quase todo o país, do Rio Grande do Sul à Bahia. As exceções são Mato Grosso, líder na produção de soja, que tem até chuva forte em algumas áreas, a região amazônica e o Nordeste (acima da Bahia). No resto do país, a produção de diversas culturas corre o risco de sofrer perdas relevantes por causa do clima. (Folha.com)

Arroz 

Mais de 45 mil toneladas de arroz em casca, a granel, serão colocadas à venda pela Conab na próxima sexta-feira (07.01), por meio de dois avisos de leilão. O objetivo da operação é promover o abastecimento de arroz no mercado, até que a nova safra esteja disponível para comercialização, o que deve ocorrer a partir do final deste mês.

Podem participar dos leilões todos os interessados que estejam devidamente cadastrados no Sistema de Registro e Controle de Inadimplentes da Conab. O produto que será ofertado é originário do Rio Grande do Sul (RS). (Agrolink)

 Mandioca 

Influenciadas pela elevação da oferta, as cotações da mandioca têm registrado quedas expressivas neste ano. Em janeiro, o valor médio da raiz caiu 7,7% frente ao de dezembro – essa média tem como base todas as regiões acompanhadas pelo Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.

Pesquisadores do Cepea indicam que produtores postergaram a colheita para o início deste ano, esperando que a valorização da raiz, que já durava sete meses, se mantivesse. Apesar da forte queda nos valores em janeiro, a média mensal das regiões acompanhadas pelo Cepea, de R$ 519,89/tonelada, superou em 49% a do mesmo período de 2013, em termos reais. (Cepea)

Para assistir às matérias do RIC Rural, clique aqui.