Notícias

Mulher que quase perdeu o dedo em explosão de carteira encontrada na rua presta depoimento

Segundo a vítima, a carteira que explodiu estava com dinheiro a mostra; a polícia não descarta a possibilidade de uma brincadeira de mau gosto

Caroline
Caroline Berticelli / Editora

9 de dezembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 15:05

A mulher de 56 anos que ficou gravemente ferida depois que uma carteira que ela encontrou na rua explodiu na sua mão em Curitiba, prestou depoimento na Delegacia de Armas e Munições na manhã desta segunda-feira (9). 

De acordo com o delegado André Feltes, policiais buscam câmeras de segurança em comércios da região, assim como o próprio artefato explosivo que foi deixado para trás na sexta-feira (6), quando o incidente ocorreu. “A gente tá em diligência pra tentar identificar câmeras de segurança, outras testemunhas e o próprio artefato, pra ver se a gente consegue saber a origem desse material. Se era um artefato mais simples ou uma coisa mais elaborada”, disse. 

As informações apuradas até o momento são mantidas em sigilo para não atrapalhar as investigações. Enquanto isso, a polícia não descarta a possibilidade de uma brincadeira de mau gosto que acabou da pior forma possível. “Uma das hipóteses aventadas ai é de uma possível brincadeira, às vezes, no sentido de fazer alguma pegadinha. Mas a gente não tem nada determinado, o que a gente conseguiu apurar por enquanto são informações preliminares que não chegaram a apontar uma linha mais concreta de investigação”, pontuou Feltes. 

Carteira explode no meio da rua em Curitiba

Segundo a vítima, no fim da tarde de sexta-feira, ela andava pela rua Engenheiro Ostoja Roguski, no Jardim Botânico, quando avistou a carteira bastante volumosa e com dinheiro amostra, e resolveu pegá-la para identificar o proprietário. Assim que pegou o objeto da mão, ele explodiu.

A princípio, alguns veículos chegaram a noticiar que a vítima teria perdido o dedo, no entanto, ela foi socorrida Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate) e encaminhada rapidamente ao Hospital Cajuru, onde teve seu dedo reconstruído

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.