Notícias

EXCLUSIVO-Índia só deve retomar exportações de vacinas contra Covid em outubro, dizem fontes

Reuters
Reuters
EXCLUSIVO-Índia só deve retomar exportações de vacinas contra Covid em outubro, dizem fontes
Frasco com rótulo "Vacina Coronavírus Covid-19" em frente a bandeira da Índia

18 de maio de 2021 - 08:48 - Atualizado em 18 de maio de 2021 - 08:51

Por Rupam Jain e Neha Arora e Krishna N. Das

NOVA DÉLHI (Reuters) – É improvável que a Índia retome grandes exportações de vacinas contra Covid-19 antes de outubro, uma vez que está direcionando doses para uso no próprio país, disseram três fontes do governo, o que representa um atraso maior do que o esperado que deve piorar a escassez de suprimentos da iniciativa global Covax.

Enfrentando o maior aumento de infecções de coronavírus do mundo atualmente, a Índia deteve as exportações de vacinas um mês atrás depois de doar ou vender mais de 66 milhões de doses. A medida obriga países como Bangladesh, Nepal, Sri Lanka e muitos da África a correrem em busca de suprimentos alternativos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), que colidera a Covax, pediu na segunda-feira que fabricantes de vacinas de fora da Índia adiantem remessas para o programa devido à carência de fornecimento do país sul-asiático.

As fontes, que pediram anonimato para falar à Reuters por não estarem autorizadas a conversar com a mídia, disseram que agora a campanha de vacinação indiana será priorizada, à medida que a contagem de infecções de coronavírus passa de 25 milhões e seu número diário de mortes atinge uma alta recorde.

“Não temos que comunicar oficialmente todos os países, já que não somos obrigados a fazê-lo”, disse uma das fontes sobre a decisão de segurar as exportações. “Isso foi debatido internamente, e se pediu a alguns países que não esperem compromissos de exportações, dada a situação indiana atual”.

A fonte não identificou os países informados sobre o atraso.

As duas outras fontes disseram que o momento exato da retomada das exportações pode mudar, dependendo do quão cedo a Índia consegue controlar sua segunda onda de casos, que sobrecarrega o sistema de saúde.

O Ministério das Relações Exteriores da Índia, que está coordenando e supervisionando as exportações de vacinas, não respondeu a um pedido de comentário sobre a questão.

Um porta-voz do Instituto Serum da Índia, o maior fabricante mundial de vacinas, disse que o foco agora é fornecer vacinas à Índia. Anteriormente, a entidade acreditava poder retomar as remessas ao exterior em junho.

Indagada sobre o prazo de outubro, a coalizão Gavi, que colidera a Covax, disse à Reuters que ao menos 140 milhões das doses que esperava do Instituto Serum até o final de maio agora permanecerão na Índia.

“Como a Índia confronta uma onda realmente terrível da pandemia, a produção de vacina indiana, incluindo as 140 milhões de doses de vacina destinadas inicialmente à Covax, foram direcionadas à proteção de seus próprios cidadãos”, disse uma porta-voz da Gavi em um email.

(Reportagem adicional de Sanjeev Miglani)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH4H0N9-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.