Notícias

Ex-marido é condenado a mais de 33 anos de prisão por matar Sandra Mara Curti a facadas

O julgamento durou quase 15 horas e considerou o crime como feminicídio triplamente qualificado

Bruna
Bruna Melo / Repórter
Ex-marido é condenado a mais de 33 anos de prisão por matar Sandra Mara Curti a facadas
Alan Borges e Sandra Mara Curti. Foto: Reprodução

19 de agosto de 2021 - 09:24 - Atualizado em 19 de agosto de 2021 - 09:24

Depois de quase 15 horas de julgamento, nesta quarta-feira (18), Alan Borges foi condenado a 33 anos e quatro meses de prisão pela morte de Sandra Mara Curti. O crime foi considerado como feminicídio triplamente qualificado. Em julho de 2020, na zona leste de Londrina, Alan usou uma faca de açougueiro para golpear 22 vezes a ex-companheira, na frente dos filhos do casal.

Alan confessou ter matado Sandra e que o motivo seria ciúmes, mesmo após os dois já estarem separados. Os jurados consideraram motivo fútil e uso de meio cruel. Também foi acrescentado o fato de não dar chances de defesa para a vítima. Foram ouvidas 13 testemunhas. O júri foi composto por sete pessoas sorteadas de uma seleção de 25 nomes convocados.

No momento do crime, Alan tentou fugir e foi contido por populares que moravam na vizinhança. Sandra chegou a receber socorro médico, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. A mulher, que era ex-servidora da Universidade Estadual de Londrina (UEL), deixou dois filhos, de oito e 12 anos.

A defesa do homem disse que irá recorrer à decisão do júri. Alan foi encaminhado à Penitenciária Estadual de Londrina, onde está preso desde a época do crime.