Notícias

“Eu tenho pena dele, é um infeliz”, diz mãe de Daniel sobre Edison Brittes

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

18 de fevereiro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 18 de fevereiro de 2019 - 00:00

Eliana Corrêa e o filho Daniel Corrêa Freitas. (Foto: Reprodução/RICTV)

Eliana Corrêa chegou no meio da tarde desta segunda-feira (18) em São José dos Pinhais para acompanhar as audiências sobre o assassinato de seu filho

Eliana Corrêa, mãe do jogador Daniel Freitas Corrêa, chegou no meio da tarde desta segunda-feira (18) no Fórum de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, para acompanhar as audiências de instrução do processo sobre o crime que vitimou seu filho. (Veja vídeo abaixo)

Visivelmente emocionada, a mãe que veio de Minas Gerais, afirmou ter se preparado para participar dos depoimentos e representar seu filho que não está mais aqui. “Porque eu sempre acompanhei meu filho em tudo, em todas as horas felizes da vida dele e agora, que fizeram isso com ele, não vou abandonar ele. Eu me preparei para esse momento com terapia, com médico, pra eu ‘tá’ aqui e ‘tá’ representando ele”, afirmou.

Indagada sobre sua mudança de postura com a imprensa, já que, anteriormente, ela preferia não falar com a imprensa, Eliane falou que não se tratava de uma escolha, mas que ela não tinha forças para falar sobre o assassinato de seu filho. “É porque eu não conseguia nem assistir reportagem [sobre o crime]. Eu não assistia nada, até hoje eu não vejo televisão”.

Sobre Edison Brittes, a mãe de Daniel foi sucinta. “Eu tenho pena dele, ele é um infeliz”, declarou em meio às lágrimas.

Caso Daniel: Família Brittes escuta os depoimentos das testemunhas

‘Eu não tenho medo deles’, diz mãe de jogador Daniel sobre acusados

Assista ao vídeo:

A mãe do jogador Daniel falou com a imprensa na chegada.

Júri popular

Também nos bastidores dos depoimentos, o advogado de defesa Cláudio Dalledone afirmou que espera que a decisão seja para que seu cliente Edison Brittes vá a júri popular. “Prefiro júri popular não há nenhuma sombra de dúvida disso porque é forma mais acertada de Justiça que os povos civilizados encontraram. Os iguais, aqueles que são do povo vão entender as circunstâncias que impregnaram o agir dele naquele momento. Desde que o mundo é mundo, aquele que viola mulher é punido”, disse.

A defesa dos Brittes sustenta a versão de que o jogador foi morto porque estava abusando sexualmente de Cristina Brittes, esposa do assassino confesso Edison. “Ele apanhou porque estava com a mulher do Brittes. Por que que ele morreu? Ele morreu o Brittes ficou indignado porque ele estava ali na cama dele com a mulher dele. Esse é motivo do crime”, finalizou Dalledone.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.