Segurança

“Eu era refém do medo”, diz mulher mantida em cárcere pelo marido; filha de 6 meses também era ameaçada

A vítima ficou presa em um quarto escuro com a filha, uma bebê de seis meses e era proibida até mesmo de abrir as cortinas, para não levantar a desconfiança de vizinhos

Daniela
Daniela Borsuk com informações do repórter Tiago Silva, da RIC Record TV
“Eu era refém do medo”, diz mulher mantida em cárcere pelo marido; filha de 6 meses também era ameaçada
Márcio Zanella deu depoimento para a polícia [(Foto: Reprodução/ Polícia Civil)

13 de julho de 2021 - 15:05 - Atualizado em 13 de julho de 2021 - 15:05

A mulher que foi mantida em cárcere privado pelo marido, Márcio Zanella, durante um mês em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, contou sobre as ameaças e a violência que sofreu antes de ser resgatada, na sexta-feira (2). A vítima ficou presa em um quarto escuro com a filha, uma bebê de seis meses e era proibida até mesmo de abrir as cortinas, para não levantar a desconfiança de vizinhos.

A mulher tinha um relacionamento com o companheiro há oito anos, e não sabia do passado violento do homem. Ele já havia ficado preso por seis anos e tinha passagens pela polícia por homicídio, tentativa de homicídio e estelionato. Tudo ia bem até que Márcio voltou a usar drogas. O comportamento do homem mudou e ele passou a fazer ameaças contra a mulher e sua família, a restringir a circulação da esposa e chegou até mesmo a colocar uma arma em sua cabeça.

“Eu era refém do medo dentro de casa, se nada aconteceu foi porque Deus não deixou“, relatou a vítima. “Ele vinha para cima, como se fosse, se você fizer alguma coisa eu mato você, se você se aproximar da sua família algo pode acontecer, se não acontecer com você, vai acontecer com eles”.

disse a mulher.

As coisas ficaram ainda mais complicadas quando Márcio resolveu trancar com um parafuso a janela do quarto que a vítima era mantida presa. Ainda, a vítima contou um momento em que achou que ia morrer, pois teve uma arma apontada para sua cabeça.

“Ele simplesmente estava com a arma embaixo do travesseiro, ele pegou e falou ‘espere um pouco’, eu estava amamentando a minha nenê, ele tirou o pente, tirou a bala do cano, colocou na minha cabeça e disparou por duas vezes. Ele falou ‘a minha vontade, se você não se afastasse da sua família, era fazer isso’”. 

Disse a vítima, abalada.

Ainda, a vítima relatou que tentou sair de casa uma vez, mas que o marido afirmou que ela não poderia levar a filha bebê. Ele chegou a dizer que, se ela fosse e voltasse, era possível que a criança não estivesse mais ali.

A mulher conseguiu avisar a mãe que estava sendo mantida presa por um aplicativo de mensagens. A esposa afirma que aproveitou um momento em que o marido estava alterado pelo uso de drogas, pegou o celular dele, mandou o recado e depois apagou o texto. A família da vítima chamou a polícia, que foi até a residência verificar a denúncia.

No momento da prisão, Márcio Zanella reagiu à abordagem dos policiais. Houve luta corporal e, conforme o delegado responsável pelo caso, da delegacia de Colombo, Irineu Portes, o homem aparentava estar descontrolado. “O cidadão estava totalmente drogado, fora de si, para ter o controle na prisão foi necessário o uso de força”, disse o delegado. Um dos policiais teve diversas escoriações e teve três dentes quebrados pelo homem. No local, foram encontradas drogas e uma arma de fogo.

Em seu depoimento, Márcio negou que tenha ameaçado ou proibido a vítima de sair de casa. Ele disse, porém, que tinha dito para que a esposa não fosse ver a própria família.