Notícias

Estelionato amoroso: golpista é preso por enganar e extorquir namorada em Curitiba

Ele é suspeito de aplicar golpes em várias mulheres com promessas amorosas, além outros crimes de estelionato

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem de Thaís Travençoli da RIC Record TV, Curitiba
Estelionato amoroso: golpista é preso por enganar e extorquir namorada em Curitiba
A vítima contou como foi enganada. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

20 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:55

Um homem de 38 anos foi preso em flagrante no centro de Curitiba, na noite desta quarta-feira (19), quando receberia uma alta quantia em dinheiro de uma mulher, de 44 anos, com que ele mantinha um relacionamento amoroso há cerca de um ano. O golpe já havia resultado em mais de R$ 70 mil. (Assista vídeo abaixo)

De acordo com a Polícia Civil, ele é suspeito de enganar mulheres com promessas amorosas – um deles ocorrido em 2018 também na capital paranaense – e coagi-las a dar dinheiro a ele, além disso o homem também possui passagens por outros crimes de estelionato

“Nós identificamos, junto com a polícia de Santa Catarina, que ele possui mais de 17 boletins de ocorrência todos de estelionato. Desde a prática de crimes como entrar em hotéis e não pagar até golpes com valores maiores, falsas cartas de crédito e outros estelionatos amorosos. Outros golpes com mulheres, pedindo dinheiro, fazendo extorsões com mulheres, sempre se utilizando de situações de poder, afirmando que é assessor parlamentar”, explica o delegado Emmanoel David.

Estelionato amoroso e as redes sociais 

O delegado pontua que o crime de “estelionato amoroso” ou “estelionato afetivo” vem se tornando cada vez mais comum e os criminosos costumam agir sempre de duas formas, em ambas o primeiro contato com as vítimas é feito por redes sociais. “Uma forma é ocorrida toda por meio virtual, ele busca nas redes sociais, diz geralmente que está fora do país, que é um refugiado político, diz que tem um posição de poder, que é médico, advogado, mas que não está conseguindo voltar para o Brasil. Assim ele pede dinheiro pra vítima, somente no meio virtual, sem a vítima ver ele em nenhum momento, que deposite dinheiro em contas afim de ajudar ele a se encontrar com a vítima”.

estelionato-amoroso-preso-extorquir-namorada-curitiba

O suspeito encontrava as vítimas pelas redes sociais. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

Na segunda modalidade de golpe, os estelionatários têm contato com as mulheres, como é o caso da vítima de Curitiba. “Ele também busca a vítima por meios virtuais, diz que tem uma posição de poder, geralmente, fala que é de família rica, que tem dinheiro, é assessor parlamentar, advogado, médico. E, quando a vítima já está envolvida, ele vai até a vítima pessoalmente e tenta iniciar um relacionamento”, diz David. 

Golpe do amor

Na situação que causou sua prisão, o suspeito já estava há quase um ano mantendo um relacionamento amoroso com a vítima e conhecia, inclusive, a família dela. Conforme a mulher, que prefere não se identificar, desde o início ele pedia dinheiro emprestado e afirmava que iria devolver.

“Começa com conversa normal, vai envolvendo, pega o ponto fraco da gente e a partir dali, ele conta uma história. As histórias são muito convincentes e sempre com a promessa de que ele ia devolver o dinheiro, que ele estava com a conta bloqueada por conta da receita federal. Eu fui na bondade, na ingenuidade, eu fui querendo ajudar. Chegou uma hora que eu comecei a perder as minhas coisas, eu comecei a parar de pagar as minhas coisa pra ajudar ele porque ele dizia que não tinha nada em casa, que não comia, que não almoçava e aquilo foi me doendo. Logo depois que a gente se conheceu, uma semana e pouco depois, ele já me contou a história que a conta estava bloqueada e começou a pedir dinheiro emprestado”, conta. 

estelionato-amoroso-preso-extorquir-namorada-curitiba

O estelionatário também fazia chantagem emocional com as vítimas. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

Ainda segundo a vítima, ele costumava envolvê-la com várias promessas amorosas e demorou até que ela percebesse que havia algo errado. “Ele me prometia uma família, cuidar do meu filho, cuidar de mim. Daí, ele começou a dizer cada vez mais, ‘Olha, desse jeito não dá. Você está vendo que eu estou precisando de ajuda e você não está provando o seu amor por mim, porque você tem provar que você me ama e para isso você tem que passar dinheiro”, lembra. 

“Esse estelionatário é especialista nesse tipo de golpe, ele procura pessoas acima de 40 anos, procura saber se a vítima é solteira, separada, se tem filhos menores. Ele faz um perfil da vítima para que, posteriormente, consiga pegar nos pontos fracos e conseguir algum tipo de vantagem indevida”, completa o delegado. 

O crime só chegou ao fim depois que, desconfiada, a mulher resolveu pesquisar sobre o namorado e começou a perceber algumas mentiras como o nome falso e a existência de vários perfis em redes sociais com a fotografia do suspeito.“Passa na cabeça e você sente a pessoa mais burra da face da terra, a pessoa mais ingênua, você se sente culpada. Alguma pessoas da minha família também tentaram me alertar, mas aquilo era tão envolvente que eu acabei fechando os olhos para tudo. Eu sei que o meu dinheiro eu não vou ter volta, mas eu quero que ele pague por tudo que ele fez”, desabafa.

Veja o vídeo:

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.