Notícias

‘Estávamos errados e era cedo demais para fazer o torneio’, diz Djokovic

Estadão
Estadão Conteúdo
‘Estávamos errados e era cedo demais para fazer o torneio’, diz Djokovic
(Créditos: Reprodução/Instagram)

23 de junho de 2020 - 17:18 - Atualizado em 23 de junho de 2020 - 17:45

O sérvio Novak Djokovic veio a público novamente nesta terça-feira (23), para lamentar os casos de covid-19 entre participantes do torneio de exibição que promoveu nos últimos dias. O tenista número 1 do mundo disse que errou na avaliação ao realizar a competição com torcida, e sem cuidados de distanciamento. “Estávamos errados e era cedo demais (para promover o evento)”, declarou.

“Lamento muito que o nosso torneio tenha causado danos. Tudo o que os organizadores e eu fizemos no mês passado, fizemos com um coração puro e intenções sinceras. Acreditávamos que o evento cumprisse todos os protocolos de saúde e que a nossa região parecia em boas condições para finalmente unir as pessoas por razões filantrópicas. Estávamos errados e era cedo demais. Não posso expressar o quanto sinto muito por este e todos os casos de infecção”,

declarou o sérvio, nas redes sociais.

Foi a segunda vez que Djokovic se manifestou sobre o caso nesta terça. Antes, anunciara que ele e sua esposa, Jelena, também testaram positivo para a covid-19. O mesmo já havia acontecido com o croata Borna Coric, o búlgaro Grigor Dimitrov e o sérvio Viktor Troicki nos últimos dias. Além dos jogadores, foram confirmados os casos da esposa de Troicki, Alexandra, em fase final de gravidez, o técnico Christian Groh e o preparador físico Marko Paniki.

O resultado positivo de Djokovic ampliou ainda mais as críticas ao evento e a sua iniciativa de realizar o torneio, com arquibancadas cheias, sem distanciamento social. Raros torcedores usavam máscaras nas partidas disputadas no evento Adria Tour, realizado em Belgrado, na Sérvia, e também em Zadar, na Croácia.

“Se você compareceu aos jogos da Adria Tour ou esteve com alguém que foi ao evento, faça o teste e pratique o distanciamento social. Para aqueles em Belgrado e Zadar, compartilharemos imediatamente os recursos de saúde. O restante do torneio foi cancelado e continuaremos focados em todos aqueles que foram afetados. Eu oro pela recuperação completa de todos”, completou Djokovic, no comunicado divulgado nesta tarde.

A realização do torneio de exibição em meio à pandemia de coronavírus gerou críticas de diversas partes. Até o australiano Nick Kyrgios, conhecido rival de Djokovic, atacou o sérvio nas redes sociais. O líder do ranking também ouviu críticas por parte do presidente da ATP, Andrea Gaudenzi.

No Brasil, o duplista Bruno Soares classificou o evento de “show de horrores”. Ele é um dos integrantes do Conselho dos Jogadores na ATP, grupo que é presidido justamente por Djokovic.

Referência do tênis brasileiro, Fernando Meligeni também reprovou a ideia de realizar o evento neste momento. “Desta vez ele mostrou um egoísmo e um enfrentamento que vai em contra a tudo que a população pensa ou precisa. Ele não é responsável sozinho. O Dimitrov, o Coric e todos que lá estavam jogando e assistindo são responsáveis pelos seus atos. Ninguém os obrigou, mas ele infelizmente é o número 1 do mundo que fala em nome de todos os jogadores do planeta. Hoje o 200, 330 do mundo ou o menino que tem apenas 1 ponto da ATP respondem pelas atitudes do Djokovic”, disse Meligeni, nas redes sociais. “Djokovic cometeu sua pior dupla falta.”

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.