Notícias

Espírito Santo acumula 144 mortos nos nove dias de motim da PM

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

12 de fevereiro de 2017 - 00:00 - Atualizado em 12 de fevereiro de 2017 - 00:00

Foto: Wilton Junior, Estadão Conteúdo

875 policiais voltaram ao trabalho neste sábado e domingo; Temer discute segurança com ministros

Um novo balanço divulgado pelo Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol) mostra que, neste domingo, houve uma queda no número de homicídios no Espírito Santo após a volta parcial dos policiais militares às ruas do Estado.

Hoje, o sindicato apurou a ocorrência de quatro mortes, totalizando 144 ao longo dos nove dias do motim no Espírito Santo. Ontem, foram registrados 12 homicídios no Estado.

No nono dia de motim, 875 policiais militares voltaram ao trabalho entre o fim da tarde de sábado e o início da manhã deste domingo. A ordem pública no Estado, principalmente na Grande Vitória, é mantida por cerca de 3 mil soldados das Forças Armadas e agentes da Força Nacional de Segurança.

Volta da partulha

Horas após o apelo de ministros para que a Polícia Militar voltasse ao trabalho e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ter declarado que o crime de motim poderia ser federalizado, parte dos PMs começou a patrulhar, na tarde de sábado (11), o Espírito Santo. 

Temer se reúne com ministros

Neste domingo (12), o presidente Michel Temer se reuniu com os ministros da Defesa, Raul Jungmann, do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, e o interino da Justiça, José Levi Mello do Amaral Júnior, para tratar sobre a crise de segurança pública no Espírito Santo. A reunião ocorreu no Palácio do Jaburu, residência oficial de Temer.

Segundo Jungmann, a greve dos policiais militares no Estado está em declínio e a ordem vem sendo resgatada. Nesta segunda-feira (13), as escolas voltam a funcionar. Os três ministros estiveram ontem em Vitória, onde se encontraram com o governador em exercício do Estado, César Colnago. Também estava presente o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy.

O policiamento nas ruas de Vitória foi reforçado pela Força Nacional e pelas Forças Armadas. Hoje são 1.300 homens. Segundo o ministro da Defesa, o Exército permanecerá nas ruas até quando for preciso. Amanhã, José Levi retornará a Vitória para acompanhar os trabalhos da Força Nacional e o desenrolar da situação na cidade.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.