Notícias

Especialistas recomendam à FDA vacina da Pfizer contra Covid para crianças de 5 a 11 anos

Reuters
Reuters
Especialistas recomendam à FDA vacina da Pfizer contra Covid para crianças de 5 a 11 anos
Pfizer BioNtech COVID-19 vaccine trial for children at Duke University in Durham

26 de outubro de 2021 - 21:36 - Atualizado em 26 de outubro de 2021 - 21:41

Por Manas Mishra e Michael Erman

(Reuters) – Um painel de especialistas aprovou por maioria esmagadora uma recomendação à Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) para autorizar o uso da vacina da Pfizer e da BioNTech contra a Covid-19 para crianças entre 5 e 11 anos de idade, dizendo que os benefícios do imunizante superam os riscos.

A autorização para o grupo etário será um passo importante para atingir a imunização de 28 milhões de crianças nos EUA, a maioria delas de volta às escolas para aulas presenciais. 

A vacina pode estar disponível para o grupo já na semana que vem. A FDA não é obrigada a seguir a recomendação de seus especialistas externos, mas normalmente as segue. Foram 17 votos a favor da medida e uma abstenção. 

Se a FDA autorizar a vacinação do grupo etário, um painel de aconselhamento para o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) irá se reunir na semana que vem para fazer uma recomendação sobre o uso da vacina. A diretora do CDC é quem tomará a decisão final. 

Embora o adoecimento ou morte de crianças por Covid-19 seja relativamente raro quando comparado aos adultos, algumas delas desenvolvem complicações, e as infecções em crianças não vacinadas crescem por conta da variante delta do coronavírus, que é transmitida mais facilmente. Os dados da Academia Americana de Pediatria mostram que mais de 500 crianças norte-americanas morreram de Covid-19. 

“É a oitava maior causa de morte de crianças nesta faixa etária no último ano”, disse Amanda Cohn, uma especialista pediátrica em vacinas do CDC e uma das integrantes do painel a votarem pela medida. “O uso da vacina irá prevenir mortes, internações em UTIs e resultados adversos de longo prazo para nossas crianças”. 

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH9Q00D-BASEIMAGE