Notícias

Empresário suspeito de matar moradora de rua em 2016 é preso em SC

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

5 de maio de 2017 - 00:00 - Atualizado em 5 de maio de 2017 - 00:00

Empresário estava foragido há mais de um ano e foi preso em uma banca de jornal (Foto: Polícia Civil)

Homem comprou um imóvel de luxo na cidade, avaliado em mais de R$ 2 minhões, e aguardava a entrega das chaves pela construtora

O empresário Imad Hamdar, suspeito de matar uma moradora de rua a tiros em Curitiba, foi preso em Balneário Camboriú, em Santa Catarina, na noite de quinta-feira (4). O crime aconteceu em março de 2016, na praça Osório, no Centro de Curitiba e desde então o homem estava foragido.

A moradora de rua Andreia de Aguiar Coelho, de 43 anos, morreu na hora ao ser atingida por um tiro que acertou a veia femoral. Segundo a Polícia Civil, o assassinato aconteceu por ódio aos moradores de rua.

Leia também: Morador de rua é atingido por bomba; testemunhas acusam PM por ataque

Uma denúncia anônima feita aos policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi o ponto de partida que culminou com a prisão do empresário. “Recebemos uma ligação dizendo onde ele estava e que roupa vestia. Imediatamente fizemos contato com o secretário de Segurança de Balneário Camboriú, Gabriel Castanheira, que localizou o empresário e fez a prisão”, explicou a delegada Sabrina Alexandrino, da Divisão de Homicícios e Proteção à Pessoa (DHPP), responsável pelas investigações.

Castanheira, que é policial civil do Paraná e está cedido para exercer a função na cidade catarinense, contou que no momento da prisão, o empresário estava numa banca de jornal. “Assim que recebemos a informação, o caso foi repassado para a ‘Força Tarefa’ formada pelas forças de segurança do município de Balneário Camboriú. Foram cerca de três semanas de investigações. A Guarda Municipal, além de auxiliar nas diligências junto com a Polícia Civil, participou do cerco que prendeu o foragido. No momento da prisão, ele estava na rua, sentado em uma banca”, explicou o secretário.

Ainda segundo Castanheira, Imad teria comprado um apartamento de luxo em Balneário, avaliado em mais de R$ 2 milhões. Mas como o imóvel ainda não havia sido entregue pela construtora, o empresário estava dormindo em hotéis da cidade. Vizinhos teriam relatado aos guardas municipais de Balneário Camboriú conversas com Imad, nas quais ele demonstrava intolerância com moradores de rua.

Após a comunicação da prisão, policiais da DHPP se deslocaram até Balneário Camboriú para transportar o preso. Ele chegou a Curitiba no início da tarde desta sexta-feira (5) e será encaminhado para o sistema prisional.

Após discussão, empresário voltou armado e disparou contra dois moradores de rua

No dia do crime, câmeras de segurança da praça Osório registraram o homicídio. Nas imagens, é possível ver o momento em que Imad chega, acompanhado de outro homem, e discute com os dois moradores de rua, que estavam deitados.

Logo depois, o empresário retorna, desta vez sozinho e armado. Ele chega próximo aos moradores e faz os disparos. Angélica morreu na hora e o rapaz que estava com ela foi baleado no braço.

Imad morava em um prédio na praça e é pai de um comerciante da região. Na residência dele, na época, os policiais encontraram um simulacro de arma de fogo e duas máquinas de choque.

A arma utilizada no crime ainda não foi encontrada. No fim do ano passado, os policiais da DHPP encontraram uma arma calibre 32 e outra 22 em uma chácara do empresário, na cidade de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba.

O empresário foi indiciado pela Polícia Civil do Paraná pelos crimes de homicídio qualificado e homicídio qualificado tentado. Ele já foi denunciado pelo Ministério Público do Paraná. Se condenado, pode pegar até 30 anos de prisão.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.