Balanço Geral Curitiba

Empresário que matou criminoso durante assalto em Pinhais continua preso

Identificado como Jonatan Zambom, o bandido possuía quatro mandados de prisão em abertos contra ele

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com reportagem de Ricardo Vilches da RIC Record TV, Curitiba

11 de fevereiro de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:52

O empresário que foi preso após matar um bandido que invadiu sua residência em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, nesta segunda-feira (10) permanece detido na Delegacia da Polícia Civil. (Assista reportagem abaixo)

De acordo com o delegado Hermínio de Paula, responsável pelo caso, o homem foi preso porque cometeu um homicídio contra ladrão.

“A situação que ele cometeu se amolda ao artigo 121 do Código Penal, qual é? Matar alguém. Eu tenho que enxergar o que a lei me determina. A lei para o delegado é homicídio, se o cidadão fosse pego furtando, ele seria autuado em flagrante pelo crime de furto da motocicleta”, alega o delegado Hermínio de Paula, responsável pelo caso. 

Quando indagado sobre a legítima defesa e o direito do empresário de defender seu patrimônio, de Paula explica que a situação não se encaixa nas causas de exclusão da ilicitude. “A questão foi o distanciamento do fato, a moto estava na rua. Ele [o empresário] fez uma primeira advertência, voltou para o interior de sua casa, se armou, o cidadão ainda estava ali na frente da moto e ele fez o disparo. Pra se ter a legítima defesa é importante que a gente coloque que a agressão atual ou iminente e ele não estava sendo agredido. O patrimônio dele?

Para a defesa, os argumentos do delegado não cabem no que de fato ocorreu, conforme o advogado Igor Ogar, o empresário foi ameaçado de morte pelo assaltante mais de uma vez. “Eu respeito a opinião dita pela autoridade policial, mas discordo veementemente dos aspectos que ele trata em relação a defesa porque nós entendemos e temos conhecimento no inquérito, de que essa pessoa fez uma ameaça verbal ao Reinaldo, uma ameaça a vítima, de morte, antes de ele buscar a arma, e novamente quando ele sai com a arma em mãos, o Jhonatan faz menção de sacar algo”, declara Igor Ogar. 

“Houve sim um homicídio, mas existe um excludente de ilicitude pela defesa”, diz o advogado do empresário. 

O caso

O homem, que possui uma revendedora de autopeças para automóveis no terreno ao lado da casa, estava trabalhando quando ouviu sua faxineira gritar que estavam roubando a sua motocicleta. O criminoso que havia invadido a garagem da casa foi então advertido pelo empresário, que estava em uma sacada no 2º andar, para que largasse o veículo. Mesmo assim, ele continuou o roubo, e já estava na calçada quando foi atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça

O assaltante morreu no local, antes da chegada do socorro, e foi identificado como Jhonatan Zambom. Junto com ele, foram encontradas várias pedras de crack. Segundo a polícia, existiam quatro mandados de prisão contra contra ele. Em sua rede social, Jhonatan chegava a ostentar fotografias com maços de dinheiro

Uma viatura da Polícia Militar chegou no local logo depois da ocorrência, pois o bandido já estava sendo procurado por ter roubado outras residências da vizinhança pouco tempo antes. 

A pistola 9 milímetros usada foi apreendida pela polícia. O empresário não possui o porte da arma

Assista à reportagem completa:

O advogado Eduardo Mileo participou do programa Balanço Geral Curitiba e falou sobre o assunto. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.