Notícias

Empresário que causou confusão em supermercado poderá responder por homicídio, diz polícia

O empresário Danir Garbossa se negou a entrar de máscara em um supermercado de Araucária e entrou em luta corporal com o segurança do local

Caroline
Caroline Berticelli / Editora com reportagem de Thaís Travençoli da RIC Record TV, Curitiba
Empresário que causou confusão em supermercado poderá responder por homicídio, diz polícia
Sandra Ribeiro morreu nesta nesta terça-feira (28), antes da chegada do socorro. (Foto: Reprodução/RIC Record TV)

29 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 1 de julho de 2020 - 14:43

O empresário do ramo de agronegócios Danir Garbossa, de 58 anos, que iniciou a confusão que resultou na morte de Sandra Ribeiro, de 35 anos, dentro de um supermercado em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, poderá responder por homicídio se comprovada sua responsabilidade, segundo o delegado Tiago Wladyka.

“A gente vai apurar o grau de responsabilidade, ele pode não responder, como ele pode responder pelo culposo ou até mesmo por homicídio doloso. Posteriormente, com a conclusão do inquérito, nós vamos encaminhar ao Ministério Público e promotor vai ter o entendimento dele”, explica Wladyka. 

Ainda conforme o delegado, o empresário ainda não foi ouvido, mas já é considerado suspeito de pelo menos seis crimes cometidos dentro do supermercado. Entre eles, até o de dano qualificado, por ter quebrado um televisor no local.

“Essa televisão foi danificada por ele, além disso, teve injúrias quando ele entrou dentro do mercado, duas lesões corporais, uma contra o fiscal de loja e posteriormente a agressão contra o próprio vigilante, a perturbação do trabalho e sossego alheio e pelo fato dele ele entrar sem a máscara dentro do estabelecimento, por infringir ato do Poder Público, no caso da Prefeitura de Araucária”, diz. 

Garbossa chegou a ser encaminhado para um hospital por ter sido atingido de raspão por um disparo de arma de fogo, mas após receber alta, foi preso em flagrante. Ele ainda não prestou depoimento. 

Segurança do supermercado também está preso

O segurança Wiliam Soares, de 27 anos, também foi preso e deverá responder por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. De acordo com Wladyka, ele admitiu ter efetuado um disparo de arma de fogo, mas declarou informalmente, pois ainda não foi ouvido, que o segundo disparo – que atingiu e matou a funcionária do supermercado– ocorreu de forma involuntária durante a luta corporal com o empresário

“Ele está arrependido e disse que o indivíduo foi para cima dele, tentando pegar a arma e ele não poderia deixar isso acontecer. Ele confessa um disparo, ele fala que teve que efetuar esse disparo porque senão o indivíduo ia acabar tomando a arma dele. Só que ele não assume o segundo disparo, ele diz que acredita que no momento da luta, essa arma deve ter disparado”, pontua o delegado. 

Para a polícia, o primeiro disparo feito pelo segurança configura, em primeiro momento, legítima defesa, mas um segundo disparo seria entendido como excesso

“Segundo relato de testemunhas e o que a gente pôde apurar até o momento, o indivíduo foi para cima do vigilante numa luta corporal, agrediu ele com alguns socos e o vigilante teve que efetuar um disparo de arma de fogo para tentar conter essa conduta. Esse é o fato, em legítima defesa, em princípio. Ocorreu um segundo disparo que acabou atingindo a vítima mortalmente, esse segundo fato, é um excesso. Onde está caracterizado, pelo menos em uma análise sumária, o homicídio culposo”, explica ainda Wladyka. 

Cliente se nega usar máscara para entrar no supermercado

Na tarde desta quarta-feira (28), o empresário se negou a usar uma máscara de proteção para entrar no supermercado. Mesmo sendo orientado, ele insistiu e invadiu o local. Durante a confusão, Garbossa agrediu um funcionário do supermercado e desferiu vários socos no segurança. Os dois então entraram em luta corporal e Soares disparou para evitar que sua arma fosse tomada pelo empresário.

Sandra acabou atingida por um tiro no tórax enquanto tentava contornar a situação. Antes de morrer, ela ainda conseguiu andar até a frente do supermercado, mas acabou não resistindo e falecendo antes da chegada do socorro

Toda a ação foi registrada por câmeras de segurança. Assista: