Notícias

Em novo decreto, Toledo expande horário do funcionamento de atividades

A partir de hoje, as atividades podem funcionar das 5h às 23h, segundo o decreto nº 168/2021, que fica em vigor até dia 1 de julho

Aline
Aline Cristina / Repórter com informações da Prefeitura Municipal
Em novo decreto, Toledo expande horário do funcionamento de atividades
(Foto: Divulgação)

24 de junho de 2021 - 10:04 - Atualizado em 24 de junho de 2021 - 10:04

O município de Toledo ampliou o horário das atividades, em novo decreto publicado na manhã desta quinta-feira (24). A partir de hoje, as atividades podem funcionar das 5h às 23h, segundo o decreto nº 168/2021, que fica em vigor até dia 1 de julho.

Ficam autorizadas as atividades comerciais, industriais e de prestação de serviços, religiosas, educacionais, academias de ginástica e atividades físicas (com orientação de profissional de educação física), todos os dias, no horário compreendido entre às 5h e às 23h.

Compras em supermercados e estabelecimentos do gênero devem permanecer com a entrada limitada a uma pessoa por família.

Além de seguir as regras impostas pela regulamentação estadual, é preciso que os estabelecimentos fixem na parte externa de forma visível e clara, o número máximo de clientes permitido no interior do local.

Restrições

Continuam proibidos os eventos culturais, shows, música ao vivo, apresentações artísticas, circos e atividades correlatas, eventos sociais e atividades em espaços fechados, tais como casas de festas, de eventos e recepções, bem como parques infantis e temáticos. 

Também são vedadas mostras comerciais, feiras de varejo, eventos técnicos, congressos, convenções, entre outros eventos de interesse profissional, técnico ou científico; casas noturnas, reuniões com aglomeração de pessoas, incluindo eventos, comemorações, assembleias, confraternizações, encontros familiares ou corporativos, em espaços de uso público, localizados em bens públicos ou privados. 

Seguem proibidas as atividades esportivas coletivas, ressalvadas as competições profissionais, desde que mediante a observância de protocolo específico estabelecido pela respectiva Federação e aprovado pelos órgãos competentes de saúde pública.