Notícias

Em áudio, testemunha-chave do caso do jogador Daniel é ameaçada de morte

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

20 de novembro de 2018 - 00:00 - Atualizado em 20 de novembro de 2018 - 00:00

Caso do jogador Daniel Correa (Foto: reprodução das redes sociais)

Um amigo próximo a testemunha-chave da investigação sobre a morte do jogador Daniel revelou que o rapaz sofreu graves ameaças de morte

Lucas Mineiro, testemunha-chave no processo de investigação da morte do jogador Daniel Correa, sofreu ameaças de morte por um indivíduo que procurou um amigo da testemunha com o objetivo de “dar um recado”.

Testemunha-chave estava na casa da Família Brittes

Mineiro, que presenciou todo o espancamento a vítima, saiu da casa da Família Brittes pelo portão após Edison deixar o local com o jogador no porta-malas.

A testemunha, que foi embora depois de solicitar um carro de aplicativo, foi procurado por Edison Brittes após o crime, que tinha o intuito de formar um “elo” para que todos que estavam no local contar a mesma história. Segundo o advogado de Lucas Mineiro, Jacob Filho, ele teria ido até o shopping no encontro com a família brittes pois teria sido coagido pela família.

Veja conversa enviada ao final desta matéria!

Nota oficial do advogado de Edison Brittes

Sobre o caso dos áudios que revelam que a testemunha-chave do caso Daniel teria sido ameaçada, Cláudio Dalledone Júnior afirma que:

“Sobre os áudios apresentados a autoridade policial, onde um informante é supostamente ameaçado, os mesmos não possuem validade jurídica, apenas demonstram a necessidade de quem os trouxe manter um protagonismo no caso Daniel”.

Advogado de Lucas Mineiro

De acordo com o advogado de Lucas Mineiro, Jacob Filho, tudo tem uma razão muito lógica na história. “Quando o Lucas vai até a autoridade policial e relata tudo o que aconteceu, logo em seguida essas mensagens surgem – horas antes de Edison Brittes ser preso. Ou seja, horas antes pessoas começam a procurar terceiros relacionados ao Lucas: mãe, amigos em comum – pessoas relacionadas ao Brittes começam a procurar amigos em comum e fizeram ameaças desse teor”, diz Jacob.

Jabob ainda explica que a versão do Lucas somadas as demais testemunhas desmascara toda a versão de Edison Brittes. Segundo o advogado, a polícia está fazendo um trabalho de  investigação sobre quem seria o autor das mensagens.

Em relação a nota divulgada por Dalledone, Jacob afirma que “nós temos uma coisa que precisa ficar muito clara, o Dalledone é useiro e vezeiro em dar declarações polêmicas e desprovidas de razoabilidade. É muito comum ele fazer isso. Não é informante, é testemunha segundo o código de processo penal, e ele sabe disso”.

“Então a testemunha tem o dever de dizer a verdade, o que um informante não tem. Então ele tenta desclassificar e desqualificar o depoimento  testemunhal dando uma declaração dessa natureza. Assumir um protagonismo de uma história, com todo o perdão da palavra que eu possa dizer agora, protagonismo de uma ação bárbara, criminosa, esdrúxula, é do cliente dele. Ele que assumiu o protagonismo criminoso”.

“Com relação a dizer se isso tem autenticidade jurídica, o Dalledone deveria pelo menos em tese saber, que quem dá autenticidade é o juiz de direito. São eles que dão autenticidade, validade jurídica a aquilo ou não. Não é o Dalledone que decide isso”, finaliza Jacob Filho. 

Caso Daniel: Veja a conversa da ameaça na íntegra (Foto: reprodução RICTV)

 

Caso Daniel: Veja a conversa da ameaça na íntegra (Foto: reprodução RICTV)

 

Caso Daniel: Veja a conversa da ameaça na íntegra (Foto: reprodução RICTV)

 

Caso Daniel: Veja a conversa da ameaça na íntegra (Foto: reprodução RICTV)

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.