Educação

TCE-PR quer regulamentar questões ligadas ao adicional noturno nas universidades

Devido a oportunidades de diversas interpretação sobre o benefício, o TCE-PR afirma que professores e servidores correm muitas chances de receberem pagamentos indevidos

Caroline
Caroline Maltaca / Estagiária com informações do TCE-PR
TCE-PR quer regulamentar questões ligadas ao adicional noturno nas universidades
TCE-PR visa regulamentar questões ligadas ao adicional noturno nas universidades (Foto: Reprodução/UEL)

21 de junho de 2021 - 17:46 - Atualizado em 21 de junho de 2021 - 17:46

O Pleno do Tribunal de Contas do Estado recomendou ao governo paranaense que encaminhe à Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) um projeto de lei que regulamente todos os aspectos envolvendo o pagamento de adicional noturno a professores e servidores de universidades estaduais.

O TCE-PR alegou, por meio de auditoria realizada por sua Sétima Inspetoria de Controle Externo (7ª ICE) entre outubro de 2020 e março de 2021, que o benefício – previsto de forma genérica no artigo 7º, inciso IX, da Constituição Federal – está sendo pago aos funcionários das instituições de ensino superior sem base em qualquer tipo de regulamentação legal.

Conforme o TCE, atualmente, há muitas chances de acontecerem pagamentos indevidos, motivados pela “pluralidade de interpretações sobre a vantagem”.

Diante disso, o órgão público também recomendado que os reitores das sete universidades estaduais do Paraná, bem como os gestores da Secretaria da Administração e Previdência (Seap) e da Superintendência-Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Paraná (Seti), adotem exclusivamente o vencimento básico dos servidores como base de cálculo do valor do adicional devido, além de padronizar o divisor aplicado para fins de apuração da quantia.

Na sessão ordinária nº 14/2021, realizada por videoconferência em 26 de maio, os membros do órgão colegiado do TCE-PR acompanharam, de forma unânime, o voto do relator do processo e superintendente da 7ª ICE, conselheiro Ivens Linhares, homologando todas as recomendações sugeridas pela unidade técnica.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.