Educação

Prazo para escolha do formato das aulas em Curitiba é prorrogado até terça-feira (27)

As famílias poderão optar por pelos formatos híbrido (aulas presenciais + videoaulas da TV Escola Curitiba) ou remoto (videoaulas + kits pedagógicos)

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com Prefeitura de Curitiba
Prazo para escolha do formato das aulas em Curitiba é prorrogado até terça-feira (27)
Foto: Divulgação/SEED

23 de julho de 2021 - 18:24 - Atualizado em 23 de julho de 2021 - 18:24

A Secretaria Municipal da Educação de Curitiba prorrogou para a próxima terça-feira (27) o prazo para preenchimento do formulário para escolha do formato de ensino neste segundo semestre de 2021

O link com formulário está no site da Secretaria Municipal da Educação, no banner no centro da página. Até o final da tarde desta sexta-feira, 66% das famílias tinham escolhido o modelo híbrido e as 34% restantes, o remoto.

Com base nas respostas das famílias, as escolas e os Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) farão a organização das turmas de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

E, a partir do dia 2 de agosto, começam a retornar às unidades os estudantes que aderiram ao ensino híbrido, de maneira escalonada para evitar aglomerações.

Protocolo de retorno

As normas e orientações para estudantes e profissionais da educação, no retorno presencial nas unidades da rede municipal de ensino, estão previstas no Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais, elaborado no ano passado a partir dos estudos e planejamento de um comitê composto por 28 membros de diversos segmentos e validado pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal de Saúde.

Entre os principais cuidados estão o distanciamento social, o uso de máscaras por crianças e profissionais, aferição de temperatura na entrada e limpeza dos pés em tapetes sanitizantes, interdição de bebedouros coletivos, além de horários escalonados para intervalo.

Desde o ano passado, chefes dos Núcleos Regionais da Educação, os diretores e demais profissionais das unidades, além das empresas terceirizadas de limpeza, foram orientados em relação ao protocolo.

A ocupação máxima será de até 50% da capacidade, o que varia conforme o tamanho da unidade. Por isso, cada escola e CMEI tem um comitê interno encarregado de colocar as normas em prática.