Educação

Educadores de Londrina protestaram contra implantação de colégios cívico-militares

O resultado das consultas com a comunidade sobre a implementação do novo modelo deve sair nesta quinta-feira (29).

André
André Justus colaboração Daniela Calsavara
Educadores de Londrina protestaram contra implantação de colégios cívico-militares
Imagem: Reprodução/Marcelo Bonomini/RIC TV

28 de outubro de 2020 - 17:33 - Atualizado em 28 de outubro de 2020 - 17:36

Educadores de Londrina protestaram em frente à sede do Núcleo Regional de Ensino de Londrina nesta quarta-feira (28). O ato foi contra o programa de colégios cívico-militares que deve ser implantado em 215 escolas estudais pelo Governo do Estado, a partir de 2021. Aproximadamente 60 educadores participaram do protesto no local.

Na terça-feira (27), a APP Sindicato de Londrina havia divulgado uma nota em que destacava a preocupação pela “forma autoritária e propagandística que o governador do Paraná está impondo o projeto”, estabelecendo a mudança nas unidades escolares.

“A gente não teve espaço para explicar o nosso ponto de vista sobre o que é esse projeto. Todo respeito a corporação e aos colegas que são funcionários públicos também e lidam com a segurança pública, mas o que a gente quer é respeito com a educação”, comenta o presidente da APP-Sindicato, Márcio André Ribeiro.

A votação aberta para a comunidade opinar sobre a implementação do modelo termina nesta quarta-feira (28) e para ter validade, mais de 50% das pessoas aptas devem votar.

A nova modalidade de ensino funcionará com gestão compartilhada entre militares e civis em escolas do 6º ao 9º ano do ensino fundamental e ensino médio. As aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares.

“Na prática nós teremos alteração na grade escolar. Vai aumentar uma aula de português, uma aula de matemática, vai entrar o ensino sobre o civismo e a ética. E também vamos ajudar com administração financeira para os alunos. A gente sabe que todo lugar onde a disciplina imperar, a gente consegue desenvolver um trabalho pedagógico com mais facilidade”, comentou a chefe do Núcleo Regional de Educação, Jéssica Pierini.

Na cidade de Londrina, as cinco unidades anunciadas são na Escola Estadual Doutor Fernando de Barros Pinto (Conj. Violim); Escola Maria Helena Davatz (Distrito de Lerroville), Escola Josemaria Escriva (Jardim Pacaembu 2), Escola Tsuru Oguido (Santa Rita II) e Escola Vista Bela (Vista Bela).

Além disso, em Cambé foram selecionadas três escolas. Outras duas em Ibiporã e Rolândia e uma escola em Bela Vista do Paraíso e em Sertanópolis. O resultado das consultas deve sair nesta quinta-feira (29).

Receba as melhores notícias de Londrina e região pelo Whatsapp. Faça parte do grupo!

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.