Educação

Aulas presenciais da rede municipal de Curitiba voltam em agosto

Após o recesso de julho, 100 centros de educação voltarão ao atendimento presencial, seguindo medidas sanitárias

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da Prefeitura de Curitiba
Aulas presenciais da rede municipal de Curitiba voltam em agosto
(Foto: Lucilia Guimarães/SMCS)

24 de junho de 2021 - 14:40 - Atualizado em 24 de junho de 2021 - 14:40

Com o avanço da vacinação para os professores, a Secretaria Municipal da Educação divulgou o retorno das aulas com a opção de ensino híbrido (presencial + videoaulas da TV Escola Curitiba) para o segundo semestre letivo, que começa em 19 de julho, após o recesso escolar.

Em 19 de julho, voltarão ao atendimento presencial 50 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e 50 escolas com estudantes em maior vulnerabilidade social. Essas cem unidades representam um quarto das 400 escolas e CMEIs da rede municipal de ensino.

A partir de 2 de agosto, todos que optarem pelo formato híbrido poderão retornar para a sala de aula.

Devido à pandemia do novo coronavírus, as famílias podem optar por dois formatos: o híbrido (presencial + videoaulas) ou o remoto (videoaulas e kits pedagógicos individuais).

A consulta para as famílias escolherem o modelo de ensino será disponibilizada de 19 a 23 de julho no site da Secretaria Municipal da Educação, como ocorreu no início deste ano, antes volta às aulas híbrida em fevereiro.

“A escolha continua sendo das famílias, que decidem se a criança vai frequentar presencialmente ou se permanecerá acompanhando os conteúdos pelo ensino remoto. As aulas começarão antes nas escolas com estudantes com maior necessidade de acompanhamento próximo, os mais vulneráveis”

explicou a secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila.

Protocolo de Retorno das Atividades Presenciais traz todos os cuidados necessários nas unidades da rede municipal de ensino. A secretária reforça que cada escola tem um comitê local para organizar e monitorar a nova rotina, de acordo com as orientações do protocolo.

O documento foi construído a partir dos estudos e planejamento de um comitê composto por 28 membros de diversos segmentos e validado pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal de Saúde.

“Nesse documento estão todas as orientações para oferecer uma volta segura àqueles que preferirem o ensino híbrido, respeitando o distanciamento e os cuidados como uso obrigatório da máscara e higienização com álcool 70%”

continuou a secretária

O protocolo prevê uso obrigatório de máscara, distanciamento entre as carteiras de 1,5 metro, horários alternados de intervalo, uso de álcool gel, tapetes sanitizantes, interdição de bebedouros coletivos, aferição de temperatura, entre outros.

A ocupação máxima será de 50% da capacidade, o que varia conforme o tamanho da escola. Para garantir os limites dentro das salas de aula, os estudantes serão divididos em grupos.

Os equipamentos de proteção individual e produtos de limpeza – como tapetes sanitizantes, totens de álcool gel, face shields, máscaras, álcool gel 70% – já foram distribuídos às unidades.

Maria Sílvia ainda esclareceu que, em caso positivo de Covid-19, deve ser feito o isolamento do grupo, que deverá acompanhar as videoaulas e não mais no presencial.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.