Economia

UE defende mais fundos para FMI e prorrogação do alívio da dívida a países pobres

Reuters
Reuters

16 de fevereiro de 2021 - 13:10 - Atualizado em 16 de fevereiro de 2021 - 13:10

BRUXELAS (Reuters) – Ministros das Finanças da União Europeia defenderam nesta terça-feira a ideia de ampliar o financiamento do FMI e prorrogar o alívio da dívida para os países mais pobres para ajudar a luta global contra a crise da Covid-19.

A ideia de aumentar os recursos do Fundo Monetário Internacional, chamados Direitos Especiais de Saques (SDR, na sigla em inglês), para que o credor possa ajudar países de mais baixa renda surgiu no ano passado. Autoridades citam volumes que vão de 50 bilhões a 1 trilhão de dólares.

No ano passado o G20 aprovou a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida, oferecendo a 73 dos países mais pobres uma suspensão de seis meses dos pagamentos de dívida.

A iniciativa já foi prorrogada uma vez e será discutida novamente na próxima reunião do G20 em abril.

“Os ministros discutiram hoje como apoiar os países mais pobres do mundo, muitos dos quais correm alto risco ou estão com problemas de dívida”, disse o vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, em entrevista à imprensa após as discussões.

(Reportagem de Jan Strupczewski)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.