Economia

Transferências por PIX superaram TED e DOC em janeiro

Modalidade de pagamento já caiu no gosto do brasileiro: foram 200 milhões de transações em janeiro.

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do Brasil 61
Transferências por PIX superaram TED e DOC em janeiro
Foto: Divulgação/SEJUF

17 de fevereiro de 2021 - 21:25 - Atualizado em 17 de fevereiro de 2021 - 21:25

Desde que o PIX entrou em funcionamento no Brasil, em novembro de 2020, já foram cadastradas mais de 159 milhões de chaves de acesso da nova ferramenta de transferência de pagamento instantâneo. De acordo com dados divulgados pelo Banco Central, a maior parte delas, cerca de 152 milhões, são de pessoas físicas, enquanto o restante é de empresas. Segundo o órgão, o PIX já é a forma de transferência mais usada, em janeiro ultrapassou a quantidade de TEDs e DOCs somados e o número de operações pelo PIX vem crescendo.

Em janeiro deste ano, foram mais de 200 milhões de transações feitas, sendo a maior parte realizada na região Sudeste. Outro dado também revela que muitos cidadãos preferem usar o CPF para cadastrar a chave PIX. Para este ano, a proposta é incorporar novas funcionalidades, que incluem, por exemplo, saque no varejo, integração com conta salário e pagamento por aproximação.

O PIX é uma nova ferramenta de transferência de pagamento instantâneo que entrou em vigor no fim do ano passado para agilizar e facilitar a vida do brasileiro. Ou seja, é um jeito mais fácil de receber, pagar ou transferir o dinheiro. Você pode fazer um PIX utilizando um celular, um tablet ou um computador.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.