Economia

Sem aumento do limite da dívida, EUA podem enfrentar risco de default em agosto, diz Yellen

Reuters
Reuters
Sem aumento do limite da dívida, EUA podem enfrentar risco de default em agosto, diz Yellen
A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen. 01/12/2020. REUTERS/Leah Millis.

23 de junho de 2021 - 17:16 - Atualizado em 23 de junho de 2021 - 17:20

WASHINGTON (Reuters) – A secretária do Tesouro norte-americana, Janet Yellen, pediu nesta quarta-feira que o Congresso aumente ou suspenda o limite da dívida federal o mais rápido possível, alertando que, se os parlamentares não agirem, os Estados Unidos podem enfrentar um sério risco de inadimplência já no mês de agosto.

“Acho que o calote da dívida nacional deve ser considerado impensável”, disse Yellen em participação em subcomitê de dotações do Senado. “Não aumentar o limite da dívida teria consequências econômicas absolutamente catastróficas.”

Yellen afirmou que, para evitar incertezas nos mercados financeiros, o Congresso deveria aprovar um novo projeto de limite de dívida – permitindo que o Tesouro continue tomando empréstimos – antes que a última suspensão vença, em 31 de julho.

No passado, o Tesouro foi capaz de evitar a potencial inadimplência por vários meses, empregando medidas extraordinárias, como a suspensão das contribuições para fundos de pensão de funcionários do governo, mas os gastos com programas de alívio dos impactos da Covid-19 aumentaram a incerteza dos fluxos de caixa do governo.

Essas medidas podem se exaurir em agosto, quando o Congresso entra em seu tradicional recesso de verão, disse Yellen.

(Por David Lawder)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5M17K-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.