Economia

Segunda onda de coronavírus atinge mais demanda agregada do que oferta, diz BC da Índia

Reuters
Reuters
Segunda onda de coronavírus atinge mais demanda agregada do que oferta, diz BC da Índia
Mulher faz compras em supermercado de Mumbai, na Índia, em meio a disseminação da Covid-19

18 de maio de 2021 - 10:15 - Atualizado em 18 de maio de 2021 - 10:20

Por Swati Bhat

MUMBAI (Reuters) – O banco central da Índia disse na segunda-feira que a segunda onda da pandemia de Covid-19 no país teve um impacto maior na demanda agregada do que na oferta agregada, e acredita que a desaceleração econômica não foi tão severa como um ano atrás.

“O maior preço da segunda onda é em termos de choque de demanda – perda de mobilidade, gastos discricionários e empregos, além do acúmulo de estoques, enquanto a oferta agregada é menos impactada”, disse o banco central da Índia em seu boletim mensal.

“O ressurgimento da Covid-19 prejudicou, mas não debilitou a atividade econômica na primeira metade do primeiro trimestre: 2021/22”, acrescentou.

O banco central disse que, embora seja “extremamente preliminar” nesta fase, acredita que a perda de impulso não é tão grave como nesta altura um ano atrás.

“Evidentemente, a natureza localizada dos lockdowns, a melhor adaptação das pessoas aos protocolos de trabalho remoto, modelos de entrega online, comércio eletrônico e pagamentos digitais estão funcionando”, disse o banco central.

(Por Swati Bhat)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH4H0R4-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.