Economia

Refinanciamento da Air France deve ocorrer nos próximos dias, diz ministro francês

Reuters
Reuters
Refinanciamento da Air France deve ocorrer nos próximos dias, diz ministro francês
Air France

29 de março de 2021 - 15:44 - Atualizado em 29 de março de 2021 - 15:45

PARIS (Reuters) – A Air France-KLM se aproximou nesta segunda-feira de um programa de recapitalização apoiado pelo governo da França, depois que Paris afirmou que está perto de um acordo com a União Europeia sobre os termos da ação.

A Air Franca-KLM, que recebeu um pacote de ajuda de 10,4 bilhões de euros para enfrentar os impactos da pandemia no ano passado, planeja converter 4 bilhões de euros em empréstimos dos governos da França e Holanda em um instrumento híbrido “quase-equity”.

Mas a conversão do empréstimo de 3 bilhões de euros para a Air France tem sido adiada diante de exigências da União Europeia para que a empresa desista de direitos de pouso e decolagem no aeroporto Paris-Orly de forma a resolver preocupações concorrenciais do bloco de países.

“Estamos perto de um acordo”, disse o ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, à rádio France, prevendo que um acordo final deve ocorrer “em questão de dias”.

A Comissão Europeia “não pode informar de antemão o momento ou o resultado” das negociações, disse uma porta-voz da Comissão sem mencionar detalhes.

Autoridades da UE exigiram inicialmente que a Air France abdicasse de um número de slots semelhante aos 24 cedidos pela alemã Lufthansa nos aeroportos de Frankfurt e Munique em troca do recebimento de aumento de capital apoiado pelo governo, disseram fontes próximas à negociação.

A posição das autoridades europeias gerou protestos da Air France, entidades sindicais e do governo.

O progresso mais recente nas negociações ocorreu depois que Bruxelas aceitou um número menor de entrega de slots pela Air France, publicaram o jornal Le Monde e outros veículos.

Separadamente, a Air France-KLM deve realizar um novo aumento de capital assim que as condições de mercado permitirem.

O grupo encerrou 2020 com prejuízo líquido anual de 7,1 bilhões de euros.

(Por Laurence Frost e ominique Vidalon)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH2S1FJ-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.