Economia

Rali acionário da Europa é interrompido por pressão de restrições do coronavírus

Reuters
Reuters
Rali acionário da Europa é interrompido por pressão de restrições do coronavírus
Bolsa de Frankfurt

17 de novembro de 2020 - 14:50 - Atualizado em 17 de novembro de 2020 - 14:50

Por Sruthi Shankar e Shashank Nayar

(Reuters) – As ações europeias caíram de máximas em oito meses nesta terça-feira, já que restrições mais rígidas para controle do coronavírus em todo o continente levantaram dúvidas sobre uma rápida recuperação econômica, compensando o otimismo sobre uma vacina para a Covid-19.

Às 14:46 (horário de Brasília), o índice FTSEEurofirst 300 caía 0,25%, a 1.502 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdia 0,24%, a 389 pontos.

O índice fechou em seu nível mais alto desde o final de fevereiro na segunda-feira, após dados positivos da vacina da farmacêutica Moderna.

A Pfizer e sua parceira BioNTech sinalizaram um forte progresso em sua vacina para a Covid-19 na semana passada, provocando um rali nas ações globais.

“A euforia é compreensível, mas insustentável”, escreveram estrategistas do banco francês Société Génerale em nota. “O aumento de casos de Covid nos EUA e o segundo lockdown da Europa garantem a fraqueza econômica global por mais vários meses.”

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,87%, a 6.365,33 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,04%, a 13.133,47 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,21%, a 5.483,00 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 0,55%, a 21.435,11 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,65%, a 7.934,30 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 1,37%, a 4.365,66 pontos.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEGAG1I3-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.