Economia

Putin defende gasoduto Nord Stream 2, diz que vai melhorar laços dos EUA com Europa

Reuters
Reuters
Putin defende gasoduto Nord Stream 2, diz que vai melhorar laços dos EUA com Europa
Logo do projeto Nord Stream 2 visto em parte do gasoduto em território russo

4 de junho de 2021 - 16:10 - Atualizado em 4 de junho de 2021 - 16:15

Por Vladimir Soldatkin e Katya Golubkova

SÃO PETERSBURGO (Reuters) – O gasoduto russo Nord Stream 2 está pronto para começar a bombear gás para a Alemanha, e a reta final do projeto será concluída, uma vez que a nova administração dos Estados Unidos procura boas relações com “parceiros chaves na Europa”, defendeu o presidente russo Vladimir Putin nesta sexta-feira.

Sucessivos governos dos EUA impuseram sanções para tentar bloquear o projeto que irá levar gás da Rússia para a Alemanha, passando diretamente pela Ucrânia, aliada de países do Ocidente.

A empresa de energia russa Gazprom seguiu adiante com a construção do gasoduto mesmo após sanções dos EUA que prejudicaram a contratação de uma empresa de colocação de dutos no final de 2019, mas a gestão Joe Biden aliviou algumas sanções mais recentemente.

“Eu acho que ele deve ser concluído, especialmente dado que o novo governo dos Estados Unidos fala de suas intenções de construir boas relações com parceiros-chave na Europa”, disse Putin durante um evento em São Petersburgo.

“Como você pode construir boas relações com seus parceiros e negligenciar seus interesses? Não faz sentido”.

A Rússia terminou a colocação dos dutos para a primeira linha do Nord Stream 2 e deve finalizar a segunda dentro de dois meses, afirmou Putin.

Faltam menos de 100 quilômetros para a conclusão do projeto, afirmou o Primeiro Ministro Alexander Novak.

Quando estiver finalizado, o Nord Stream 2 vai dobrar o volume que pode ser transportado entre Rússia e Europa pela rota hoje existente, para 110 bilhões de metros cúbicos, aumentando a dependência europeia de energia da Rússia.

O gasoduto, que permitirá concorrência a embarques de gás natural liquefeito dos EUA para a Europa, foi descrito por Biden como “um mal negócio” para a Europa.

Mas, ao aliviar algumas sanções no mês passado, Biden disse que o projeto estava quase concluído e que a continuidade das sanções poderia prejudicar o relacionamento com a Europa.

As ofertas totais de gás da Rússia para a Europa devem superar 200 bilhões de metros cúbicos neste ano, e podem crescer em até 50 bilhões de metros cúbicos adicionais na próxima década, disse Putin.

(Reportagem de Vladimir Soldatkin e Katya Golubkova; Reportagem adicional de Oksana Kobzeva em Moscou e Timothy Gardner em Washington)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 56447745))

REUTERS LM LC

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5314J-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.