Economia

Projeto que pode reduzir até 20% do preço do gás de cozinha no Paraná é aprovado por deputados

A proposta permite que o consumidor possa efetuar a compra do gás de cozinha de qualquer marca, independente daquela estampada no botijão que tem em casa; a ideia é permitir a opção pelo produto mais barato e abrir o mercado de revenda de gás para pequenas empresas

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações da Alep
Projeto que pode reduzir até 20% do preço do gás de cozinha no Paraná é aprovado por deputados
Foto: Marcello Casal/Agência Brasil

7 de junho de 2021 - 17:24 - Atualizado em 7 de junho de 2021 - 17:32

A Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) aprovou na sessão plenária desta segunda-feira (7), em primeiro turno, uma proposta que pode reduzir o preço do gás de cozinha em até 20%. O projeto de lei 188/2021 permite ao consumidor efetuar a compra do gás de cozinha de qualquer marca, independente daquela estampada no botijão.

O texto estabelece que, em todo o estado do Paraná, o titular da marca inscrita em vasilhame ou embalagem reutilizável não poderá impedir a livre circulação do produto ou reutilização do recipiente, ainda que por empresa concorrente. 

Os autores da proposta, Ademar Traiano (PSDB), Delegado Francischini (PSL) e Hussein Bakri (PSD), destacam que atualmente mesmo que o cidadão possua o botijão, este não pode enchê-lo, por exemplo, na empresa que tenha o menor preço, pois as maiores distribuidoras se protegem através da marca estampada no botijão, dificultando a entrada de novas empresas distribuidoras no mercado e consequentemente, diminuindo a livre concorrência, a qual poderia promover a redução do preço do botijão e do GLP para a população. 

O objetivo do projeto, segundo os deputados, é permitir a opção de escolha do consumidor pela marca mais barata e não obrigar a adquirir o produto da marca estampada do botijão, que poderá ser mais caro. Ainda segundo a matéria, a medida poderá promover uma redução entre 15 e 20% no preço final do gás de cozinha para consumidor. 

“Com esse projeto estamos democratizando o atendimento daqueles que precisam de um bujão de gás, que hoje está concentrado na mão de poucas empresas credenciadas. Queremos oportunizar a possibilidade de que outras pequenas empresas possam fazer essa distribuição e atender aos consumidores”, afirmou Traiano. “É uma proteção ao consumidor. Vai ter uma repercussão enorme no preço na ponta a partir do momento que vamos estimular a concorrência e o proprietário do botijão puder escolher onde trocar”, reforçou Francischini. “A medida também é importante para conter o aumento descontrolado dos preços de produtos essenciais aos paranaenses em meio à pandemia”, concluiu Bakri. 

Antes de seguir para o Executivo, o projeto de lei deve passar por uma segunda votação.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.