Economia

Petrobras adia início da produção em Mero 1 por atraso em FPSO

Reuters
Reuters
Petrobras adia início da produção em Mero 1 por atraso em FPSO
Logo da Petrobras fotografado em São Paulo (SP)

7 de abril de 2021 - 15:12 - Atualizado em 7 de abril de 2021 - 15:15

SÃO PAULO (Reuters) – A Petrobras postergou a previsão de início de produção de Mero 1 para o primeiro trimestre de 2022, ante estimativa anterior para o último trimestre de 2021, após atraso nas obras do navio-plataforma que será usado na área, o FPSO Guanabara.

“O FPSO está em conversão na China e em função do cenário de pandemia da Covid-19 houve atraso nas obras da unidade, com consequente ajuste no cronograma”, disse a estatal em comunicado nesta quarta-feira.

O campo de Mero pertence ao Bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos, licitado pelo governo brasileiro em 2013.

O FPSO (unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência) que será instalado no campo terá capacidade de processamento de 180 mil barris de óleo por dia, segundo a companhia.

O bloco de Libra tem como operadora a Petrobras, com 40% de participação. Também têm participação no empreendimento a anglo-holandesa Shell (20%), a francesa Total (20%) e as chinesas CNODC (10%) e CNOOC (10%).

(Por Luciano Costa)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH361FL-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.