Economia

PEC Emergencial será pauta na próxima semana, diz presidente do Senado

Reuters
Reuters
PEC Emergencial será pauta na próxima semana, diz presidente do Senado
Presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, em Brasília

18 de fevereiro de 2021 - 14:51 - Atualizado em 18 de fevereiro de 2021 - 14:55

Por Maria Carolina Marcello e Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou nesta quinta-feira que a chamada PEC Emergencial será pautada no plenário da Casa na próxima semana e que o parecer da proposta deve ser divulgado até a segunda-feira.

Pacheco esteve reunido nesta quinta com o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e com o ministro da Economia, Paulo Guedes, para discutir o auxílio emergencial e contrapartidas para o programa assistencial.

“Ficou ajustado hoje, na reunião de líderes do Senado, que dentre muitos projetos que nós vamos pautar na semana que vem, será pautada a PEC Emergencial”, disse o presidente do Senado em pronunciamento após conversa com Guedes e Lira.

“O parecer (da PEC) será apresentado pelo senador Marcio Bittar (MDB-AC) de hoje até segunda-feira e essa aprovação pelo Senado Federal permitirá, através de uma cláusula de orçamento de guerra, uma cláusula de calamidade, que se possa ter a brecha necessária para implantar o auxílio emergencial no Brasil”, explicou Pacheco.

O presidente afirmou que a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que traz gatilhos para o teto de gastos, irá permitir a implementação do auxílio emergencial, mas não implica em uma condição.

“O objetivo da reunião foi novamente nós tratarmos a respeito do encaminhamento do auxílio emergencial no Brasil e da contrapartida que estamos buscando fazer –não como condição para a implantação do auxílio emergencial–, mas como uma sinalização positiva de que o Senado e a Câmara têm responsabilidade fiscal”, garantiu.

LATERAIS

Em meio ao suspense que tomou conta da Câmara nesta semana, após a prisão de um de seus integrantes –o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) por atacar ministros do Supremo Tribunal Federal–, Lira afirmou que a democracia é “forjada em firmeza de posição de instituições”. Para ele, a reunião desta quinta configura uma demonstração que a Casa irá “enfrentar os problemas”, e que eles “se acomodam gradativamente com o tempo”.

Lira garantiu que as pautas tidas como prioritárias continuarão “firmes” e “sem obstáculos”.

“Essa reunião de hoje é simbólica, ela demonstra todo o caráter de prioridades das duas Casas, junto com o ministro da Secretaria de Governo, com o ministro Paulo Guedes, a presidente da Comissão de Orçamento do Congresso Nacional, para que nós continuemos a tratar dos assuntos que são importantes para o Brasil”, disse o presidente da Câmara, citando PECs, o auxílio emergencial e vacinas como temas essenciais.

“Todos os outros assuntos, eles são laterais”, acrescentou o deputado.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1H1HW-BASEIMAGE

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.