Lukas Rique
Liberdade Financeira

Por Lukas Rique

Economia
Lukas Rique

MERCADO DE AÇÕES. ARROZ COM FEIJÃO – PARTE II

IPO – ENTENDA COMO FUNCIONA A ABERTURA DE CAPITAL NA BOLSA DE VALORES

MERCADO DE AÇÕES. ARROZ COM FEIJÃO – PARTE II

16 de outubro de 2020 - 14:01

Em um outro artigo aqui na coluna trouxe para vocês uma leitura dos últimos IPO’s e dos próximos IPO’s para ficarmos de olho ainda em 2020. Clique aqui para conferir: https://ricmais.com.br/noticias/economia/lukas-rique/a-festa-dos-ipos-ja-comecou-vai-ficar-de-fora/

No artigo de hoje meu objetivo é te explicar o funcionamento técnico passo a passo para que uma empresa realize a abertura de capital na bolsa de valores.

De forma bem resumida, abaixo os 10 passos para realizar um IPO:

1 – Análise Preliminar de viabilidade

Uma empresa pode ter ou não ganhos de escala em realizar um processo de IPO, para tanto, por mais que aparentemente o processo represente uma oportunidade de crescimento para a companhia, nem tudo são flores e muita coisa irá precisar mudar antes que se pense em realizar a abertura de capital.

2 – Eleição do Conselho de Administração

Para que exista uma gestão cada vez mais profissional, imparcial e competente aos olhos dos novos investidores, é necessária a formação de um conselho de administração com no mínimo 03 membros. Esse processo faz parte da implementação de uma governança corporativa na companhia, onde no mais alto nível de governança da B3, conhecido como Novo Mercado, o conselho deve ser formado por no mínimo 03 membros também, que ocuparão o cargo por 02 anos e pelo menos 20% dos membros deve ser independente, ou seja, não participar diretamente da operação da empresa.

3 – Documentações e Demonstrações Financeiras auditadas e aprovadas por auditoria (o que gera um belo de um custo)

Para que a empresa possa abrir seu capital ela deve “abrir seus cofres” ao mercado, de maneira nada arbitrária, ou seja, os números gerenciados internamente deverão necessariamente passar por uma auditoria externa, processo esse que gera elevados custos para a companhia, porém irá servir para dar mais tranquilidade e segurança ao investidor.

4 – Escolha de uma Instituição Financeira para Coordenar o processo (pode ser uma corretora ou um banco de investimento)

O coordenador do processo será o responsável por conduzir todo o processo, desde a elaboração de documentos até a apresentação da empresa para o mercado.

5 – Formação de Bookbuilding (preço de ofertas por ação) e Roadshow para investidores (apresentar o negócio para quem tem bala na agulha – geralmente investidor institucional)

Esse processo, que é conduzido pelo coordenador, possui a intenção de formar um pool de distribuição da oferta ao mercado, onde serão elegidos líderes e consorciados que irão absorver

Inicialmente uma quantia significativa da oferta e posteriormente irão distribuir isso ao mercado, de modo a garantir que a empresa consiga realizar a captação desejada.

6 – Assembléia Geral Extraordinaria – para apresentação das definições do processo

Após cumpridas todas as etapas anteriores, a empresa deverá convocar uma AGE com os membros do conselho e principais envolvidos para que se faça o update de todo o andamento do processo.

7 – Nomeação de um Diretor de R.I (Relação com Investidor)

O mercado precisa de um canal de contato dentro da empresa que irá ser responsável por remeter aos investidores todos os principais acontecimentos da companhia, fatos relevantes, decisões estratégias e até mesmo tirar eventuais dúvidas, para tanto é necessária a formação de um setor de RI e um diretor responsável por tal setor.

8 – Departamento de atendimento ao acionista (sim, se você comprar uma ação terá um atendimento exclusivo para você)

Ainda sobre o guarda-chuva do setor de RI, esse departamento servirá para prestar todo o suporte necessário ao acionista em eventualidades do dia a dia.

9 – Registro na CVM (Comissão de Valores Mobiliários)

É o processo que visa a obtenção do registro para abertura do capital, enviando o documento conhecido com PROSPECTO ao órgão regulador, onde conterá todas as principais informações do processo e as adequações realizadas pela companhia, visando trazer transparência principalmente ao investidor sobre as principais informações da oferta.

10 – Publicação em Jornais e Registro na B3

Após aprovado pela CVM, o próximo passo é a publicação nos jornais e nos meios de comunicação públicos e o registro na B3, através do envio da documentação de todo o processo bem como com o aval da CVM para que o valor mobiliário possa ser listado.

Eai, aprendeu um pouco mais sobre os IPO’s agora? Espero que sim.

Grande abraço e até a próxima.